Os registros da imigração portuguesa no Brasil apareceram no século XVIII e se tornaram mais regulares a partir do século XIX. Devido aos inúmeros estudos sobre o tema, hoje já se pode contar com estimativas mais confiáveis sobre o número de imigrantes que vieram para o Brasil desde o século XVI.

Nos primeiros dois séculos de colonização, vieram para o Brasil cerca de 100 mil portugueses. No século seguinte, esse número aumentou: foi registrado uma média anual de 10 mil imigrantes portugueses. O ápice do fluxo migratório ocorreu na primeira metade do século XX, entre 1901 e 1930: a média ultrapassou os 25 mil ao ano.

A origem socioeconômica do português imigrante é muito diversificada: de uma próspera elite nos primeiros séculos de colonização, passou-se a um fluxo crescente de imigrantes pobres a partir da segunda metade do século XIX.

As relações entre Brasil e Portugal vão muito além da dimensão histórica. Há interesse mútuo em valer-se do capital político bilateral para poder aprofundar os fluxos de comércio e de investimentos e para criar novas parcerias nos campos científico, tecnológico, cultural e educacional.

O comércio tem apresentado crescimento constante e vem se tornando mais equilibrado. Além das 600 empresas portuguesas instaladas no Brasil, empresários portugueses têm demonstrado crescente interesse em investir em projetos de infraestrutura no país. Os investimentos brasileiros em Portugal também estão aumentando.

Portugal vem diversificando suas parcerias políticas e comerciais. O Brasil aparece, nesse contexto, como ator relevante para o futuro das relações econômicas e comerciais do país, razão pela qual o governo português apoia as negociações para um Acordo de Livre Comércio entre o MERCOSUL e a União Europeia.

As parcerias no campo científico e tecnológico refletem o interesse brasileiro na capacitação profissional e o interesse português na ocupação de sua conceituada estrutura universitária e laboratorial. Recentes iniciativas em inovação, nanotecnologia, biotecnologia e energia demonstram a vitalidade da agenda tecnológica entre os dois países.

A articulação entre Brasil e Portugal em temas políticos é extensa. Depois de estreita cooperação no Conselho de Segurança das Nações Unidas, em 2011, o governo português foi firme aliado no processo que levou à escolha do embaixador Roberto Azevêdo à Direção-Geral da Organização Mundial do Comércio (OMC).

O intercâmbio educacional entre Brasil e Portugal é um dos mais antigos, lastreado em séculos de história compartilhada. Portugal é um dos principais destinos de bolsistas brasileiros participantes do “Ciência sem Fronteiras” ou do Programa de Licenciaturas Internacionais.

Entre 7 de setembro de 2012 e 10 de junho de 2013 (Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas) foram realizados o “Ano do Brasil em Portugal” e o “Ano de Portugal no Brasil”, que contribuíram para atualizar a opinião pública acerca da diversidade e do dinamismo da produção cultural contemporânea nos dois países. O “Ano do Brasil em Portugal” foi a maior mostra de cultura brasileira já realizada no exterior: durante dez meses, foram realizados 294 eventos em diversas cidades portuguesas, abrangendo manifestações artísticas e eventos de cunho empresarial e científico-tecnológico, com audiência estimada em seis milhões de pessoas.

Cronologia das relações bilaterais

• 1500: Chegada ao Brasil de frota comandada pelo navegador Pedro Álvares Cabral e reivindicação da soberania do território para a Coroa portuguesa

• 1532: Estabelecimento de capitanias hereditárias no território brasileiro

• 1549: Nomeação do governador-geral do Brasil

• 1775: Criação do Vice-Reino do Brasil

• 1808: Transferência da corte portuguesa para o Rio de Janeiro e abertura dos portos

• 1815: Criação do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves

• 1822: Declaração da independência brasileira

• 1825: Reconhecimento da independência brasileira por Portugal por meio do Tratado de Paz e Aliança

• 1914: Elevação à categoria de Embaixadas das representações diplomáticas de Brasil e Portugal

• 1953: Assinatura do Tratado de Amizade e Consulta

• 1972: Entrega ao Brasil dos restos mortais do imperador d. Pedro I

• 1991: Realização da I Cimeira Brasil-Portugal

• 1996: Criação da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa – CPLP

• 2000: Assinatura de Tratado de Cooperação, Amizade e Consulta

• 2003: Assinatura do Acordo sobre Facilitação de Circulação de Pessoas; do Acordo sobre Contratação Recíproca de Nacionais; e do Acordo de Cooperação para a Prevenção e a Repressão do Tráfico Ilícito de Migrantes

• 2011: Visita ao Brasil do ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Luís Amado (18 de fevereiro)

• 2011: Visita da presidenta Dilma Rousseff a Portugal (29 e 30 de março)

• 2011: Visita ao Brasil do ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Paulo Portas (26 a 28 de julho)

• 2012/2013: Realização do Ano do Brasil em Portugal e do Ano de Portugal no Brasil

• 2012: Visita ao Brasil do ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Paulo Portas (3 a 8 de setembro)

• 2013: Visita ao Brasil do ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Paulo Portas (22 de maio)

• 2013: Visita do ministro das Relações Exteriores, Antonio de Aguiar Patriota, a Portugal (10 e 11 de abril)

• 2013: Visita da presidenta da República, Dilma Rousseff, a Portugal (10 de junho)

• 2013: Realização da XI Cimeira Brasil-Portugal (10 de junho)

• 2014: Visita do ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, a Portugal (20 de março)

• 2015: Visita a Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo do ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Rui Machete (4 a 7 de maio)

• 2016: Reunião de trabalho do ministro Mauro Vieira com o ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva, à margem da Conferência Internacional de Apoio à Síria e Região, em Londres (4 de fevereiro) Primeira Capital do Brasil

O conjunto arquitetônico, paisagístico e urbanístico do Centro Histórico de Salvador foi tombado como patrimônio brasileiro em 1984 e, no ano seguinte, inscrito na Lista do Patrimônio Mundial da Unesco.

A história da capital baiana remonta os primeiros anos após a chegada dos portugueses ao Brasil, quando Tomé de Sousa, em 1549, recebeu ordens do Rei de Portugal para fundar uma cidade fortaleza na Baía de Todos os Santos. Nascia assim São Salvador, a sede do Governo-Geral, por muitos anos a maior cidade das Américas.

Os espaços públicos de Salvador – Praça Municipal, Terreiro de Jesus, Caminho de São Francisco, Largo do Pelourinho, Largo de Santo Antônio e Largo do Boqueirão – decorrentes dos traçados de suas ruas, ladeiras e becos, formam um dos mais ricos conjuntos urbanos de origem portuguesa. Os sobrados de dois ou mais andares e as soluções de implantação em terrenos acidentados são exemplos típicos da cultura lusitana.

Cultura

O trabalho artesanal dos descendentes de imigrantes portugueses, conserva a particularidade do artesanato “Além Mar”. A tecelagem com palha, corda, linha e fibras vegetais.

Confecção de chapéus, cestas e xales mantém a característica dessa cultura européia, repassada pelos primeiros colonizadores e que ainda é desenvolvido principalmente em cidades do Rio Grande do Sul.

Música

O Fado é o estilo musical português. Geralmente é cantado por uma só pessoa (fadista) e acompanhado por viola e guitarra portuguesa. Os temas mais cantados no fado são a saudade, a nostalgia, o ciúme ou as pequenas histórias do cotidiano dos bairros típicos. Sua intérprete mais célebre foi Amália Rodrigues. A música portuguesa além fronteiras tem atingido um patamar de reconhecimento internacional e tem ajudado a divulgar a língua portuguesa em todo o mundo. Os instrumentos musicais típicos portugueses são: cavaquinho, gaita-de-foles, acordeão, violino, tambores, guitarra portuguesa (instrumento característico do fado) além de uma variedade de instrumentos se sopro e percussão.

Dança

Na bagagem dos colonizadores e imigrantes portugueses vieram uma das maiores contribuições culturais: as danças e festas folclóricas. Chimarrita, pau-de-fita; quadrilha, as festas juninas, de São João, São Pedro e Santo Antônio, os fandangos e as cantorias do espírito santo, conhecidas em todo o Brasil são bastante difundidas e tiveram origem em Portugal, mas foram incorporadas a cultura brasileira.

Religiosidade

É forte a influência portuguesa na questão da religiosidade, uma vez que o catolicismos é a religião oficial no Brasil e em Portugal. Essa influência pode ser vista nas crenças, mitos, superstições, nas promessas e procissões. Existem ainda, manifestações religiosas acompanhadas das procissões de Corpus Christi, de Nossa Senhora de Fátima, Nossa Senhora dos Navegantes e São Pedro.

Culinária

A gastronomia portuguesa é muito rica em variedade. Cada localidade do país tem os seus pratos típicos, passando pelas carnes de gado, carneiro, porco e aves, pelos variados enchidos, pelas diversas espécies de peixe fresco e marisco, além é claro do bacalhau. Entre os queijos, destacam-se os da Serra da Estrela e de Azeitão. Dentre os pratos típicos, destacam-se o Cozido à portuguesa, o Bacalhau à Braz e Bacalhau à Gomes de Sá, o Leitão assado à moda da Bairrada, o Caldo verde e os peixes grelhados.

Na doceria, entre uma enorme variedade destacam-se os famosos Pastéis de Belém, os ovos moles de Aveiro e o pão-de-ló de Ovar.

Portugal é um país fortemente vinícola, sendo célebres os vinhos do Douro, do Alentejo e do Dão, os vinhos verdes do Minho, e os licores do Porto e da Madeira e tudo isso hoje também se compõe na miscigenação da cultura do Brasil.

 

Fontes: www.portoalegre.rs.gov.br e www.itamaraty.gov.br