O ex-capitão Carlos Alberto Torres, chamado carinhosamente de “Capita”, grande mestre do futebol do Brasil faleceu aos 72 anos, no último dia 25 de Outubro no Rio de Janeiro de enfarte fulminante.

Em 1964 foi lateral-direito no Fluminense. No Santos, jogou ao lado de Pelé, Pepe, Gilmar dos Santos Neves e Zito vencendo 5 torneios paulistas, 2 Taça-Brasil e um Rio-São Paulo.

Pelo seu destaque no Santos, acabou indo para a Seleção Brasileira, onde em 1970, foi o capitão da seleção que estava recheada de craques como Gérson, Tostão e Pelé, e foi Torres quem ergueu a Taça Jules Rimet quando a seleção brasileira venceu a Itália por 4 a 1.

Nos anos 70, o Fluminense que era conhecido como a “Maquina Tricolor” recebe novamente o craque Torres. Depois passou pelo Flamengo ao lado de Zico.

Fora do território brasileiro, atuou no New York Cosmos com Pelé e também no California Surf.

Depois de se aposentar como jogador, Carlos Alberto Torres dedicou-se à ser treinador. Além de comandar o Flamengo, Fluminense e Botafogo, onde ele ainda conquistou a Copa Conmebol em 1993, passou também pelo Corinthians, Náutico, Atlético-MG e Paysandu, além de ter marcado presença no futebol mexicano e pelas seleções de Omã e Azerbaijão.

Foi vereador em 1989 na cidade do Rio de Janeiro.

Seu último trabalho era o de comentarista esportivo pelo canal SporTv.

Em Nova York, os brasileiros receberam com muito carinho sua participação nas festividades em comemoração ao Brazilian Day 2002 quando subiu ao palco com o representante da comunidade, criador do evento e amigo pessoal, João de Matos.