A crise financeira e a busca por melhor qualidade de vida fazem com que centenas de trabalhadores deixem o Brasil pra se aventurar no exterior. Até o início do ano a declaração de saída definitiva do Brasil teve uma alta de 40%. Um dos principais destinos desses brasileiros são os Estados Unidos.

O casal Wellington e Sandra Tavares chegou a Nova Jersey há pouco mais de quatro meses. Os dois deixaram o diploma e um escritório de advocacia em Goiás para proporcionar uma vida melhor para os filhos aqui na terra do Tio Sam. Na bagagem trouxeram dinheiro para as despesas do primeiro mês, o suficiente para comprar um carro usado e muita coragem para começar do zero. Sem domínio da língua, ele conseguiu uma vaga de iniciante na construção civil. Ela virou assistente de limpeza. O faturamento ainda está muito aquém das expectativas. “O que a gente ganha, por enquanto, só dá para pagar as despesas básicas, o valor do aluguel consome quase toda nossa renda”, explicou Sandra.

Não saber falar o idioma está entre os principais problemas enfrentados por brasileiros. O professor e sócio proprietário da Escola de Inglês Língua Franca, Élcio Magueta, lida diariamente com essa realidade. Segundo ele, a procura por cursos de inglês está crescendo. “Esses trabalhadores tem consciência que só a fluência no inglês vai lhes garantir melhores oportunidades de trabalho e consequentemente aumentar a renda”, afirma Magueta.

Essa lição Dalila de Oliveira (foto acima) aprendeu bem. Ela chegou aos Estados Unidos três anos atrás. Como não possuía qualquer conhecimento de inglês, trabalhou por um tempo como ajudante na faxina, agora tem suas próprias casas. “Saber me comunicar está me ajudando a crescer sozinha. Hoje eu consigo também fazer compras e outras atividades básicas como ir ao hospital. Eu olho pra trás e vejo o quanto aprendi e o quando ainda tenho a aprender. Não vou parar de estudar nunca”, concluiu.