Durante a época mais fria, os banhos ficam mais longos e mais quentes.

Com isso, a camada de gordura protetora da pele se desgasta.

Durante o verão, ninguém esquece de cuidar da pele – o Sol forte não permite descaso.

Isso não quer dizer, no entanto, que no inverno se pode baixar a guarda. O tempo frio também é um grande inimigo da pele e o descuido pode gerar doenças dermatológicas sérias.

O grande vilão da pele durante o inverno é o chuveiro, porque as pessoas tomam banhos mais quentes e mais longos. Isso retira a camada de gordura protetora da pele, que já fica mais fina naturalmente quando a temperatura cai.

Essa camada de gordura, chamada pelos médicos de “manto lipídico”, é essencial para manter a hidratação da pele e ajuda na proteção contra a penetração de bactérias e fungos. Seu enfraquecimento deixa a pele seca e mais sujeita a coceiras e alergias. Além disso, áreas como virilha, axilas e pés ficam vulneráveis a infecções.

Recomenda-se ainda, a especial atenção com as crianças, que são mais vulneráveis a problemas de pele. As mães precisam redobrar os cuidados para garantir que os pequenos estejam sempre bem hidratados.

Unhas, cabelos e lábios também precisam de atenção. No frio, os lábios ressecam e partem, precisando de hidratação. O cabelo é especialmente maltratado por causa da combinação água quente e secador. As unhas, muitas vezes negligenciadas, enfraquecem com a desidratação e podem quebrar e descamar. Toda vez que sentimos a mão seca, as unhas também estão secas. Por isso, ao passar um hidratante, não se pode esquecer delas. As unhas são também uma importante porta de entrada de infecções.

Se as micoses são os problemas dermatológicos mais comuns do verão, no inverno são outras doenças que se destacam.

A dermatite atópica (ou eczema atópico) é uma das mais comuns. Trata-se de uma alergia crônica, comum em crianças, que ocorre por uma deficiência de hidratação do organismo. Ela causa coceiras e até lesões mais sérias, que podem formar crostas e soltar secreções.

Conhecida popularmente como “impinge”, a dermatofitose da pele também é agravada durante a temporada mais fria. Apesar de não ser uma doença grave, ela causa manchas brancas pelo corpo de aparência bastante desagradável, o que pode constranger os pacientes.

Outra enfermidade, a psoríase é caracterizada pela aparição de placas avermelhadas com escamas grossas nos joelhos, cotovelos e no couro cabeludo. De causa genética, ela se agrava dependendo de alguns fatores ambientais, como o frio.

Para evitar esses e outros incômodos, aqui vão algumas dicas:

– evitar banho com água quente demais: use o bom senso;

– usar sempre hidratante (logo depois do banho, com o corpo ainda úmido, é o ideal, pois a absorção fica mais fácil);

– não deixar o protetor solar de lado, mesmo no frio (dar preferência para os que contém hidratante);

– se secar sempre muito bem, especialmente nas áreas mais sujeitas a infecções, com uma toalha macia;

– para alérgicos, evitar o contato de roupas de lã diretamente na pele: use uma camiseta de algodão por baixo.

Fonte: G1 e www.portaldoconsumidor.gov.br