O Natal é uma festa dos Vikings que tem origem há uns vinte mil anos antes de Cristo. Os vikings eram povos que habitavam a região da Península da Escandinávia no hemisfério norte em épocas antigas. A palavra viking origina-se do normando “vik” cujo significado mais provável é “homens do norte”.

vikigns Acreditavam também nas Valkirias, mulheres valentes que cavalgavam com Odin durante as batalhas.

O solstício de inverno é o dia em que o sol está mais longe da Terra.

No hemisfério norte esta data é no dia 24 de dezembro sendo que no hemisfério sul esta mesma data é comemorada no dia 24 de julho, que deu origem as festas juninas.

Por conta das baixas temperaturas , os povos da região tinham apenas seis meses no ano para armazenar comida, carnes, nozes, castanhas, peixes, etc., para os seis meses de noite durante o inverno. Em uma temperatura de trinta graus abaixo de zero, a vida começa a perder para a morte e a luz perder para as trevas.

A data vinte quatro de dezembro era a pior por ser a mais fria e o sol es-tar muito longe da Terra. Nesta data o Xamã da tribo acendia a fogueira e enfeitava o pinheiro, que era uma árvore, que mesmo no mais terrível inverno continuava verde, com velas e fazia um ritual pedindo para os deuses que a luz vencesse as trevas, que a sabedoria vencesse a ignorância, que a vida vencesse a morte, etc.

vikignsNeste ritual de poder e magia o Xamã escolhia um de seus melhores guerreiros para caçar um urso branco, que era o símbolo da força dos Vikings, para sacrificar e oferecer aos deuses.

O guerreiro saia sozinho no seu trenó puxado pelas renas com a gigatesca tarefa de caçar um dos animais mais fortes e perigosos do hemisfério norte, o urso branco.

Quando o guerreio voltava com a barba branca e os cabelos cobertos de neve imediatamente ele tinha que tirar a pele do urso e se vestir com a parte dos pêlos brancos por dentro e avermelhado de sangue por fora como o símbolo da força e do poder dos Vikigns, em oferenda aos deuses.

Após o ritual, os Vikings faziam grande festa com muita fartura de alimentos, músicas, danças, etc. Com o passar do tempo esta festa pagã foi crescendo e dominou toda a Europa.

presepioApós o surgimento dos cristãos, a igreja se sentia incomodada com esta grande festa pagã e fez de tudo para acabar com ela. Foram todas as tentativas em vão, pois a cada ano que passava, por mais que a igreja tentasse acabar com esta festa, mais ela crescia.

Desta forma, e sem nenhuma chance de sucesso em acabar com a grande festa pagã, e três séculos após o surgimento do cristianismo, a Igreja passou a comemorar o nascimento de Jesus no dia 25 de dezembro e renomeou esta data como Dia de Natal.

Nos Estados Unidos ganhou o nome de Santa Claus, no Brasil de Papai Noel e em Portugal de Pai Natal.

Até o final do século XIX, o Papai Noel era representado com uma roupa de inverno na cor marrom ou verde escura.

euaEm 1886, o cartunista alemão Thomas Nast criou uma nova imagem para o bom velhinho, mas a imagem que conhecemos do Papai Noel tem uma origem muito mais comercial. A figura de um velhinho com roupa vermelha e branca foi criada e difundida pela publicidade da Coca-Cola no século XIX.

Natal nos Estados Unidos

natalAs tradições natalinas dos Estados Unidos estão ainda muito influenciadas pelos imigrantes europeus. Os descendentes dos imigrantes da Morávia, na Pensilvânia, são conhecidos pelas suas pirâmides de Natal, que são uma espécie de bolo em forma de pirâmide, feito à base de bolacha e frutas.

Nos estados de Minnesota, North Dakota e Winconsin são evidentes os costumes escandinavos. Um deles é o de alimentar os pássaros com uma dieta especial de Natal: cevada, aveia e trigo.

O Santa Claus (o Papai Noel dos americanos) é um símbolo típico da cultura americana. Esta designação apareceu com os primeiros colonos da América, vindos da Holanda. Em holandês São Nicolau (o santo generoso e presenteador), que se foi americanizando até chegar à forma de hoje. Uma lenda norueguesa deu origem à crença de que Santa Claus desce pela chaminé: a deusa Hertha aparecia nas lareiras e trazia boa sorte às casas.

Natal na Alemanha

alemanhaOs alemães decoram as suas casas com ornamentos de Natal, luzes e lantejoulas. É costume também incluir na decoração bolos com formato de figuras humanas, animais, e estrelas. As grinaldas do Advento são uma das mais populares decorações de Natal. Cada uma tem quatro velas, acesas uma de cada vez nos quatro domingos que precedem o Natal. As crianças alemãs acreditam que os seus presentes são trazidos pelo Menino Jesus. Na Alemanha, o São Nicolau é celebrado a 6 de dezembro. Nesse dia, o santo entrega às crianças doces e outras guloseimas. E é nessa altura que são entregues cartas com pedidos de presentes de Natal. Os alemães são famosos pela sua doceria de Natal. O mais popular é o bolo Stollen, feito com uvas, amêndoas e cerejas.

Natal no Brasil

brasilA origem do Papai Noel, tão difundida entre nós, também é européia. O escritor Monteiro Lobato, na década de 30, buscando abrasileirar este simbolismo criou vovô índio; nos anos 50, Joracy Camargo e Heckel Tavares, conceberam um personagem negro chamado Papai João, para substituir a figura do Papai Noel, contudo, nenhuma das tentativas vingou, e o velhinho de barbas brancas e botas pretas parece estar incorporado definitivamente ao Natal brasileiro. No interior, a festa cristã se reveste de característica bem mais populares e brasileiras, oportunizando diversas manifestações folclóricas, como o bumba-meu-boi, o boi-calenga, chegança do fandango, pastoria, congadas ou congas, reisados, essas variações normalmente antecedem a missa do galo, celebrada a meia-noite.

Natal na Espanha

espanhaO dia 6 de janeiro, Dia de Reis, é para os espanhóis o momento para distribuir os presentes. De forma a ilustrar a importância desse dia para os espanhóis, as férias escolares do período natalino, por exemplo, prolongam-se até dia 7. O dia 6 de janeiro é feriado nacional.

No entanto, na Espanha não se deixa de celebrar o dia 24 de dezembro e o dia 25 é também feriado nacional. Nesses dias a família reúne-se, mas não trocam presentes.

As danças populares são tradicionais nessa época do ano.

Depois da Missa da Meia-Noite, as ruas enchem-se de populares que dançam. Grandes multidões assistem às celebrações.

Natal na Inglaterra

inglaterraNa Inglaterra, como nos Estados Unidos, é Santa Claus que distribui os presentes e desce pela chaminé. As suas características são idênticas às do Papai Noel, só muda o nome.

Lá também é celebrado o Natal em 25 de dezembro. E, nessa data, as crianças penduram as suas meias junto à lareira para que Santa Claus as encha de presentes.

O pudim de ameixa é um doce natalício tipicamente britânico. Na Escócia, os padeiros fazem bolos de aveia.

Outro costume daquele país é beber uma grande taça chamada wassail cheia de uma bebida feita à base de cerejas, maçãs assadas, ovos, açúcar, noz-moscada, cravo-da-índia e gengibre. Esta mistura é bebida quente. Antigamente, as pessoas iam pelas ruas cantar canções de Natal em troca de uma taça.

O costume de cantar pelas casas dos amigos vem desse hábito mais antigo.

Natal na Suécia

sueciaAs celebrações do Natal começam no dia 13 de dezembro, o dia de Santa Lúcia. Nessa altura, a filha mais velha veste-se de branco e usa na cabeça uma coroa ver-de com sete velas. Nesses trajes, serve café e bolos aos outros membros da família. As crianças suecas acreditam que são dois duendes, o Juul Tonte e Juul Nisse, que lhes trazem as oferendas de Natal.

Natal na China

chinaOs chineses cristãos comemoram o Natal decorando suas casas com coloridas lanternas de papel.

Também as árvores de Natal que são chamadas de árvores de luz, são decoradas com lanternas, flores e outros enfeites de papel.

Como as crianças americanas, as chinesas também penduram os seus pés de meia para que o Papai Noel coloque ali os presentes. Mas lá o seu nome é um pouco mais complicado.

O velhinho é chamado de Dun Lhe Dao Ren, que significa velho Natal.

Para a população não cristã a principal festividade desse período é o Ano Novo chinês que acontece em uma data variável, no final de janeiro.

Durante a festa as crianças recebem novas roupas e brinquedos e há inúmeros shows de fogos de artifício.

Um espetáculo importante da comemoração do Ano Novo na chuva é a homenagem que se presta aos ancestrais. Retratos e pinturas dos ancestrais da família são colocados na principal peça da casa para serem vistos e lembrados pelos seus atuais membros.

Natal na Itália

italiaOs italianos jejuam no dia anterior ao Natal. À noite, a família reúne-se à volta do presépio, orando, enquanto a mãe coloca o Menino Jesus na manjedoura. Segue-se a entrega de presentes, previamente colocados num grande pote apelidado a Urna do Destino.

Na Itália, o dia de Natal é quase exclusivamente dedicado às cerimônias religiosas. Muitas das ofertas são entregues na véspera da Epifania (6 de janeiro). Nessa altura, e de acordo com uma lenda, La Befana, uma espécie de feiticeira velha, vem pela chaminé abaixo com as prendas. Uma das mãos traz uma campainha para anunciar a sua chegada e na outra uma vara ou um pedaço de carvão para bater nas crianças desobedientes.

As Ceias de Natal também variam conforme se muda de região. Em Milão, costuma-se servir o pão chamado de panettone, feito com frutas cristalizadas.

Na região do vale do Pó, a comida mais popular são os tortellinis, massa recheada de carne.

No Sul do País, o prato tradicional da noite de Natal é a enguia.

Natal em Hong Kong

hong-kongDois dias depois do Natal, em 27 de dezembro, é que a população de Hong Kong faz sua grande festa. E a Chiu, uma comemoração taoista voltada para a limpeza e renovação local. Os participantes dessa festividade depositam oferendas nos templos da cidade e convocam todos os seus poderes com o objetivo de trazer renovação para suas vidas. No final da comemoração, os sacerdotes dos diversos templos lêem em voz alta o nome de cada um dos moradores do bairro onde está o templo. Então, pegam essa lista extensa de nomes, e a prendem em uma pandorga a qual se põe fogo quando começa a subir, deixando que suba em chamas, para o céu.

Natal no Japão

japaoOs japoneses, cristãos ou não, passou a comemorar o Natal porque há na cultura Japonesa, uma longa tradição de troca de presentes. E uma data que oficializa essa troca tornou-se um forte apelo para eles.

Um outro hábito relativo ao Natal, o presépio, também foi adquirido pelos japoneses especialmente as meninas, que gostam de montar os seus próprios presépios. Há, no Japão, a figura mitológica de um monge que se assemelha muito à do Papai Noel. Ele é o hoteiosho, um bom velhinho que, como Papai Noel, também leva um saco às costas. Mas, diferentemente deste, ele tem um segundo par de olhos na parte de trás da cabeça, e as crianças são advertidas a se comportarem bem pois, caso contrário, o hoteiosho estará vendo tudo, tudo o que fazem. Como na China, a data mais importante pa-ra os japoneses é o Ano Novo. Para marcar a sua chegada, as casas são totalmente limpas e decoradas no dia anterior. Depois as famílias colocam suas melhores roupas, e o pai, seguido de toda a família, caminha por toda a casa, exortado os maus espíritos a se retirarem, e chamando a boa sorte.

Natal no México

mexicoDurante o Natal no México, a população aproveita não só para distribuir presentes mas para relembrar os difíceis movimentos que antecederam o nascimento de Jesus. Isso é feito em procissões. As pousadas que reproduzem o drama de Maria e Jesus procurando representar um local onde ficaram quando chegaram a Belém.

As procissões começam nove dias antes do Natal, porque a ida da sagrada família de Nazaré para Belém levou nove dias.

Grupos de amigos e familiares se dividem em dois lados e representam a ida Sagrada Família a Belém. Os dois peregrinos pediam abrigo aos donos de pousadas sendo recusados friamente em cada uma delas. Enfim, chegam à casa que foi escolhida para abrigar um altar com um presépio, onde são recebidos com festa. Então, são feitas orações e tem início a comemoração do Natal.

Natal na Venezuela

venezuelaUma das divertidas tradições de Natal do mundo é da Venezuela, e é praticada pelas crianças. A população da Venezuela tem o hábito de ir à primeira missa do dia, entre os dias 16 e 24 de dezembro. Essa missa é chamada de Missa de Agrinalda.

Em Caracas, a capital do país, é comum que as crianças e adolescentes sigam para a missa de patins. Em muitos bairros, chega-se a fechar as ruas para os carros, para que as crianças possam ir patinando para a missa.

Mas o mais curioso é um habito que antecede a ida para a missa. De noite, na hora de dormir, muitas crianças amarram um barbante no dedão do pé, e colocam a outra extremidade do barbante pendurado para a fora da janela. Assim, os primeiros patinadores que passam para ir para a missa, vão dando um puxão nos barbantes atados nos pés dos mais preguiçosos, para acordá-los.

Natal na Índia

indiaEnquanto os brasileiros optaram por uma árvore de Natal que não é nativa do País o pinheirinho, os indianos elegeram as árvores nativas para decorarem durante o Natal. Na índia, as bananeiras e mangueiras é que são enfeitadas com decorações natalinas. Em diversas regiões indianas usam-se pequenas lamparinas como enfeites que são colocadas sobre os telhados e muros. Mas, nas igrejas utilizam-se velas e uma flor que, embora mexicana, tornou-se a flor do Natal de vários locais: o bico-de-papagaio, ou pointsettia.

Fontes: www.pistissophiah.org e www.padrereginaldomanzotti.org.br