Ministério da Educação pretende implantar nos Institutos Federais de todas as regiões do País centros de formação de treinadores de cães-guia. O projeto começou no ano passado nos institutos em Santa Catarina e no Espírito Santo. Agora, pelo menos outros cinco centros estão sendo instalados nos institutos federais.

A novidade é relevante quando se considera que na população brasileira há 7,3 milhões de pessoas com deficiência visual, de acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde de 2013, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Dessas, 1,2 milhão têm limitações severas e 95% estão sem acesso a serviços de reabilitação.

Até o momento, 16 cães treinados es- tão em atuação, além de outros 71 em fase de socialização, que ainda passarão pelo processo de adestramento ofertado pelo Instituto Federal de Camboriú (IFC) e pelo Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes).

Expansão

Agora os institutos federais de Sergipe (São Cristóvão), do Amazonas (Ma- naus), do Ceará (Limoeiro do Norte), Goiano (Urutaí) e do Sul de Minas Gerais (Muzambinho) passam pelo processo de implantação de unidades. Em cada um desses campus, terá alojamento, canil, maternidade, clínica veterinária e pista de treinamento.

O campus de Alegre, do Instituto Federal do Espírito Santo, abriu a primeira turma do curso técnico subsequente em treinamento e instrução de cães-guia em agosto de 2015, com duração de dois anos. O estudante aprende a formar cães-guia e desenvolve aptidão para viabilizar o processo de união com o deficiente visual. A próxima turma está prevista para 2017.

Em 2015, o Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), campus de Alegre, foi o segundo a estabelecer uma unidade. Outros cinco centros estão em processo de implantação. Todas as regiões do país serão atendidas, segundo o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif).

A reitora do IFC, Sônia Regina de Souza Fernandes, destacou a importância dos centros de treinadores e instrutores de cães-guia para a inclusão e disseminação da tecnologia assistiva.

“Quando formamos técnicos de excelência capacitados para o treinamento de animais, principalmente, estamos colaborando para o aumento do número de cães-guia em atividade no país e contribuindo para melhorar a qualidade de vida das pessoas que têm limitações visuais”, afirmou.

Cadastro

Para adquirir um animal treinado pelos institutos federais é necessário estar inscrito no Cadastro Nacional de Candidatos à Utilização de Cães-Guia da Secretaria Especial de Direitos Humanos (SDH), vinculado ao Ministério da Justiça e Cidadania. O cadastro é voltado exclusivamente para pessoas com deficiência visual (cegueira ou baixa visão).

A pessoa inscrita integra uma lista de candidatos elegíveis para aquisição nos processos de seleção realizados pelos centros, por meio de editais cuja divulgação pode ser acompanhada na página do Ministério da Justiça e Cidadania.

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Educação