Nascer no Brasil é uma opção de amor. Quando abrimos os nossos olhos encontramos um País continente, com belezas naturais inigualáveis, temos o berço aquecido pelo calor humano das pessoas que nos rodeiam, somos embalados por música, cor e dança e contadores de histórias sem comparação e, com tudo isso… perdemos a noção da realidade.

O brasileiro é amigável, criativo e prestativo e acredita sempre em dias melhores. O que é a sua grande vantagem como povo sofrido, esmagado por crises que se repetem em moto perpétuo desde que o país ganhou o nome de Brasil.

A fuga pela imaginação aparece então como uma constante na vida de cada brasileiro. Se não temos alguma coisa, substituímos por outra do mesmo valor e estamos empatados:

Não temos muitas medalhas de ouro nos jogos olímpicos, mas tivemos durante muito tempo o melhor futebol do mundo; Não temos escolas suficientes nem especialização profissional mas em compensação somos versáteis e imaginamos sempre que em tudo o que fazemos somos melhores que os outros; Não temos peso nas decisões mundiais mas em compensação não temos grandes guerras e somos pacifistas; Não temos o nível de vida dos outros países mais ricos, mas em compensação não temos as grandes catástrofes naturais. Somos um país sem vulcões em erupção, sem terremotos, sem nevascas e sem furacões.

Inventamos até um conterrâneo ilustre: Se Deus não fosse omnipotente e omnipresente certamente seria brasileiro.

Nessa doce ilusão podemos até mesmo ser considerados um dos últimos povos felizes do mundo.

Esses valores que se agregam a imagem do brasileiro torna cada um de nos um SER que anda pela realidade da pobreza, violência, má administração e extrema corrupção reinantes no país, dentro de uma bolha de sabão cor de rosa que, mesmo tênue, consegue nos isolar disso tudo e nos transforma em pessoas resistentes, simpáticas e de boa vontade.

Então temos essa condição mágica de estarmos atentos, mas nos distrairmos facilmente para poder enxergar o lado bom da vida.

Para o brasileiro viver é mais importante que sobreviver!

YMAS ROMABEL
Escritor
ymasromabel@gmail.com