A primeira linha do Hyperloop, um trem de alta velocidade e de custo menor do que o do metrô, deve estrear dentro de dois anos. A declaração vem de Andres De León, chefe de operações da Hyperloop Technologies, empresa que negocia com governos de vários países a implementação do meio de transporte inovador.

No momento, León não sabe precisar qual será o primeiro país a contar com o Hyperloop.“Estamos trabalhando com diferentes governos. Todos querem ser o primeiro, mas isso vai depender de quem for mais rápido. As regulações estão levando mais tempo do que esperávamos no início. Não é algo que vai levar dez anos, mas também não é de um dia para o outro. Ele deve levar de um a dois anos para estrear”, declarou o executivo, em entrevista coletiva na 10ª edição da Campus Party Brasil, realizada em São Paulo. “A inovação vem primeiro e a regulamentação vem depois.”

A negociação em foco hoje é com Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes, mas a Hyperloop Technologies já firmou acordo com os governos da Republica Tcheca e com a Eslováquia. A Califórnia também está nos planos da empresa, que trabalha em parceria com mais de 40 companhias de diferentes pontos do planeta e tem cerca de 600 colaboradores. “Não acreditamos que somos uma empresa que vai criar o Hyperloop. Acreditamos em um movimento”, disse León.

Uma das primeiras rotas já planejadas vai conectar a cidade de Brno, Praga e a Bratislava. O percurso, que hoje leva uma hora e meia, poderá ser feito em 10 minutos.A velocidade média do trem é de 1.200 km/h. Ele utiliza uma combinação de levitação magnética com ventiladores para diminuir a resistência do ar, entre outros fatores.

O Hyperloop foi idealizado pelo bilionário Elon Musk, que compartilhou o projeto sem registro de patentes. Ele, aliás, está tão estressado com o trânsito que começou a cavar um buraco enorme nos Estados Unidos sem saber ao certo que está fazendo.

Por Lucas Agrela; Fonte: Exame.com