Nestes 24 anos de música DM tocou na noite em muitos bares, shoppings e casas noturnas antes de chegar ao Rio de Janeiro. É definitivamente um “mineiroca” (MG + RJ). Nasceu na cidade de Barra Mansa, mas morou em Volta Redonda por quase 20 anos, mas suas lembranças mais saborosas são de Minas Gerais na cidade pacata de 6.000 habitantes de Santa Rita de Jacutinga, onde ia todos os fins de semana no banco de trás da Brasília do seu avô Humberto Rosa, depois na adolescência de carona, de ônibus e com sua família de carro. Sempre paralelamente à música trabalhou em diversos campos, como vendedor de doce na feira do bairro, office boy aos 14 quando começou a estudar guitarra, contínuo de banco, e depois, professor de violão de dia e a noite tocando nos bares da vida. Durante os quase 2 anos que morou nos Estados Unidos, além de tocar em bares, trabalhou como pintor, entregador de jornal, faxineiro em casas e jardineiro.

De volta ao Brasil montou um estúdio de música para ensaio e nos horários livres aulas de percussão chamado “Oficina Percussiva”, onde realizou mais de 20 workshops com músicos como Artur Maia, Nelson Faria, Reppolho, André Neiva, Renato Massa e Claudio Infante. Antes de seguir carreira solo tocou com bandas de diversos estilos como Baile, Sertanejo de Raiz, Samba, Pagode e varias do estilo Pop anos 80 e 90. Foi Produtor Fonográfico de artistas independentes do interior e também fez jingles para inúmeras rádios e políticos. Apos terminar sua primeira faculdade de produção fonográfica, se tornou diretor artístico. Após estes anos por lá e não se sentindo valorizado em vários aspectos, sentiu uma vontade enorme de ir adiante, devido sua insatisfação com os rumos que a música oferecida ao público estava tomando.

Foi então convidado a ser Secretário Municipal de Cultura em Minas Gerais em 2012.

Em uma bela manhã já no Rio de Janeiro, cuidando de outros negócios da família, sua mulher e seu filho de 20 anos, notaram sua tristeza e lhe fizeram um pedido que foi o grande divisor de águas… volte para sua arte !!!

Então, aqui está ele, bem mais feliz.

Produtor de shows e aberturas para artistas como: Lulu Santos, Cássia Eller, João Bosco, Guilherme Arantes, Zé Ramalho e Blitz.

Seu primeiro CD foi lançado em 2003, “Um pulo sonoro… Além do anonimato”, que foi seu primeiro CD solo que contém 11 canções próprias com participações de músicos como: Cláudio Infante, André Neiva, Reppolho e Otávio Rocha. Atingiu 4.000 cópias onde as primeiras 1.000 cópias continham uma versão de “Triste” (Tom Jobim) autorizado sem ônus pela Jobim Music.

O segundo CD de 2010, “Se eu fosse você, prestava mais atenção em mim…” , um CD muito bem gravado nos Estúdios Mega e Som Livre onde dividiu a produção com o baixista Dunga, atingiu 7.000 cópias e conta ou com participações de músicos como Paulo Calazans, Marcos Suzano, Milton Guedes, Lui Coimbra, Christiaan Oyenes, Vinicius Rosa e Renato Fonseca.

No terceiro CD de sua carreira, “Os Maiores Sucessos do Famoso Quem…”, que foi lançado no fim de 2015, e um CD comemorativo, reúne músicas de seus 2 álbuns anteriores + 3 novas canções. Está disponível em seu site além de fabricação de 3.000 cópias onde as 100 primeiras pessoas de cada show ganham o CD de presente. Neste trabalho, seu filho Raphael Malharo participa e produz uma canção que gerou o Clip “Tentando Recomeçar”, disponível no YouTube.

Atualmente realiza seu terceiro tour pelos Estados Unidos em 2017.

Para se ter uma noção de sua carreira via internet, basta assistir alguns clips como: “Bem mais que isso”, “Disseram”, “Benzer”, “Fevereiro pra reinar” e versões como “Escrito nas Estrelas” ao vivo no teatro rival com Milton Guedes. Tudo isso no YouTube.

Para mais informações: www.douglasmalharo.com.br