Neste ano, mais de um milhão de alevinos de espécies nativas foram soltos no rio São Francisco em 18 ações de peixamento. Desde o início do projeto, em 2007, foram reproduzidos mais de 146 milhões de alevinos, como apoio à piscicultura local.

Os peixamentos fazem parte do trabalho de revitalização do rio, promovido pelo Ministério da Integração Nacional, por meio da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

As ações fazem parte do Plano Novo Chico, que tem o objetivo de aumentar a quantidade e a qualidade da água para a população e de garantir a preservação, conservação e uso sustentável do rio.

A soltura constante dos alevinos nativos da bacia possibilitou que espécies antes sumidas na região, como a curimatã pioa e a matrinxã, voltassem a ser pescadas. Entre os peixes reproduzidos e utilizados nos peixamentos destacam-se também o cari, pacamã, piau, pacu e piaba.

Meio ambiente e sustento

Segundo Inaldo Guerra, diretor da Área de Revitalização das Bacias Hidrográficas da Codevasf, o trabalho tem importância ecológica, científica e socioeconômica, pois garante o sustento do pescador. “A ação é um dos trabalhos que contribui para o meio ambiente ajudando na recuperação do bioma do qual faz parte esse rio e, tão relevante quanto, ensinando às novas gerações a importância desse tipo de envolvimento”, afirmou Guerra.

Apoio à piscicultura

A Codevasf também apoia os piscicultores na reprodução de espécies não nativas, em um projeto voltado ao desenvolvimento local para fomentar a cadeia produtiva, a geração de emprego e renda e a segurança alimentar.

A expectativa é de que cerca de 16,5 milhões de pessoas que vivem nos 505 municípios que compõem a bacia sejam beneficiadas, direta ou indiretamente.

Fonte: Portal Brasil