O que hoje em dia percebo com maior clareza não se limita somente em minhas próprias experiências como sobrevivente, mas como observo o universo ao meu redor. Sonhos nos testam, sonhos nos conectam e alguns sonhos nos mudam e nos alteram…

Outro dia, caminhando no parque me deparei com adolescentes tirando fotos após ou ainda antes de sua cerimônia de formatura. Todos trajando suas becas. E não pude evitar e escutei um deles falando: “Agora irei buscar a carreira que EU quero para mim. Já terminei o que os meus pais queriam!” Fiquei tão triste, mas ao mesmo tempo feliz… e irei explicar:

Depois do atentado terrorista vivido, passei anos lutando contra traumas que nunca imaginei que um dia iria passar e horas a fio me questionando sobre o porquê de muitas situações que havia passado. Hoje, quando olho para trás, vejo como o destino nos coloca diante de encruzilhadas que às vezes nos levam a um rumo completamente diferente do que nossas aspirações almejavam. E como nossas prioridades mudam!

Esta pequena reflexão é com um simples intuito de demonstrar que, independente do motivo que redirecionou nossas aspirações e objetivos, nossas escolhas e como agimos diante de tais momentos exercerão um papel importante durante essa nova trajetória. É onde os nossos valores e princípios serão testados de forma real e, quem sabe, com um propósito ainda maior e bem mais sólido do que jamais havíamos sonhado. Portanto, é importante enfrentarmos as mudanças de frente, sejam elas esperadas ou não, para que possamos enxergar de fato os desafios impostos por qualquer desvio e assim chegar ao nosso destino ou melhor dizer concluir o que aspiramos ou desejamos, independente da rota traçada.

O mundo gira, o cenário se altera, as estações vão e vêm, nada é estático. Por mais parado que possamos nos sentir, nossa vida, nossa história, nossas experiências e nosso legado vão no fluxo. Quando percebi a benção que tive de ainda estar aqui e a possibilidade de recriar uma nova versão minha ainda mais forte e mais altruísta, foi que despertei para o novo. Optei pela evolução buscando a cada dia observar as lições apresentadas, recorrendo a respostas que na maioria das vezes se encontram dentro de nós mesmos. Seguindo essa linha, não importa qual o tipo de redirecionamento que você tenha que enfrentar, tome o seu tempo para buscar o que lhe realmente inspira, não o que os outros aspiram de você. O importante é se reconhecer e seguir em frente, sempre prestando atenção nos sinais no meio do caminho, nos desvios, sem permitir que outros lhe mostrem atalhos que consideram melhor para você. Reavalie-se sempre! Lembre-se: é sua vida, seus sonhos e suas decisões. Leia sempre as placas e os sinais, mas sempre com um olho no retrovisor para que a paisagem passada não venha querer lhe distrair e lhe atropelar.

Muitas vezes, pessoas e situações passam por nossas vidas e, com elas, lições, provações e demonstrações do que queremos e não queremos. Alguém um dia me disse: “A melhor coisa do passado é que nos demonstra o que trazer e não trazer para o nosso futuro”. Na época achei meio egoísta, e por alguma maneira ficou na minha mente, afinal não deixa de ser uma lição. Reduzir a velocidade, ser ultrapassada, não deve servir para que busque o primeiro retorno que encontre adiante, e sim para entender o seu próprio ritmo em meio ao fluxo ao seu redor. Aí é o momento de apreciar a paisagem, de renovar os sonhos de reavaliar suas aspirações. É como uma chama sem pavio, pode até abaixar um pouco a temperatura, porém seguirá iluminando.

Fechando esta pequena reflexão, que seus sonhos, decisões e ações te ajudem a conectar com valores e triunfos ainda mais lindo do que você esperava. Que sempre siga mantendo sua chama na temperatura ideal e com forças para seguir adiante. E sempre positivamente e em evolução. Pois, nossas escolhas estarão sempre e para sempre conosco tornando-se o nosso legado.

Como uma canção mineira que diz que “os sonhos não envelhecem”, eles se transformam.

ADRIANA MALUENDAS
Autora & escritora
www.alemdasexplosoes.com.br