Selecionamos os lugares mais roots do Brasil, com paisagens pra ninguém botar defeito, e comunidades que vivem em comunhão com a natureza.

• Aldeia Hippie (Arembepe, BA): A Aldeia Hippie da praia já atraiu turistas famosos, como Mick Jagger, Janis Joplin, Tim Maia, Raul Seixas e Gilberto Gil. A praia tem areia branca e fofa, com águas mornas e calmas, perfeitas para quem busca sossego e até mesmo um refúgio para passar uma temporada com a família. Lá, os moradores trabalham com artesanato e turismo para garantir o bom funcionamento da comunidade, repleta de casas e cabanas rústicas. O acesso é feito à pé a partir das dunas que marcam a região.

• São Tomé das Letras (MG): Há quem jure já ter visto objetos voadores não-identificados do alto da Pirâmide, o mirante mais famoso de São Tomé das Letras. Destino favorito de brasileiros em busca de misticismo, São Thomé coleciona lendas sobre o aparecimento de criaturas extraterrestres. As pedras que fizeram fama do lugar são carregadas de histórias esotéricas, e vendidas em larga escala até mesmo como artigos de gastronomia. Quem estaciona o carro no ponto morto na Ladeira do Amendoim sente o veículo se movimentando sózinho. No Vale das Borboletas, as moradoras do lugar voam, sem cerimônias, em torno dos visitantes.

• Pousada Uacari (AM): Localizada no meio da reserva Mamirauá, no coração da Amazônia, essa pousada flutuante de madeira, que leva no nome uma espécie endêmica de macaco, inclui atividades bem peculiares. A região é cercada por espécies de jacarés açu, de couro negro, ameaçados de extinção e que chegam a medir seis metros de comprimento. Durante a noite, os visitantes podem participar da contagem dos répteis que, vale ressaltar, ficam bem soltos pelo rio. Passeios de barco complementam a estadia, de onde é possível avistar botos cor de rosa e outros animais.

• Varginha (MG): Quem nunca ouviu falar no ET de Varginha? Os boatos se iniciaram em 1996, com relatos sobre o aparecimento de OVNIS e até mesmo da suposta captura de criaturas de outro mundo por parte das autoridades locais. Se é verdade ou não, essa cidade no sul do Estado, que já foi importante centro de produção cafeeira no país, abraçou a fama. As ruas são decoradas com estátuas de alienígenas e até mesmo réplicas de naves espaciais – que fazem a alegria dos turistas.

• Chapada dos Veadeiros (GO): O turismo da região se mantém firme e forte graças aos belos rios, cachoeiras e paredões de rocha que fizeram a fama local. Sua atmosfera mística também atrai a atenção dos visitantes, que partem em busca dos mistérios prometidos por ela. Tudo isso graças às suas inúmeras minas de cristais de quartzo, que muitos acreditam ser um chamariz para troca de energias. A região de Alto Paraíso abriga até mesmo uma pista de pouso de OVNIS, o que só aumenta a força das lendas. As belas trilhas e cânions, por outro lado, são ideais para quem busca esportes de aventura.

• Caverna do Diabo (Eldorado, SP): O nome em si não poderia ser mais sugestivo para essa misteriosa gruta, descoberta oficialmente pelo arqueólogo alemão Richard Krone em 1891. A lenda conta que moradores dos antigos quilombos da região a apelidaram dessa forma ao escutar vozes misteriosas vindas da caverna e constatarem que suas colheitas, postas na entrada do lugar, eram frequentemente remexidas pelo o que eles acreditavam ser criaturas de outro mundo. Em seu interior, desenhos inusitados reforçam a teoria.

• Visconde de Mauá (RJ): Localizada em uma bela região serrana, Visconde de Mauá soube preservar a aura tranquila que atraiu os hippies no início dos anos 1970, sobretudo na vila de Maromba, onde diversos artistas e artesãos se concentravam. Belas cachoeiras disputam a atenção dos turistas, juntamente com as pousadas de charme que encantam os casais.

• Canoa Quebrada (CE): Refúgio hippie durante muito tempo, na praia de Canoa Quebrada ainda perambulam hippies vendendo artesanato. Cercadas por falésias que marcam e dão o tom de sua bela paisagem, as praias de Canoa Quebrada já foram consideradas um dos melhores esconderijos da comunidade hippie, sobretudo no início dos anos 1970. Hoje, o turismo local se fortaleceu, mas a atmosfera continua a mesma. O que não faltam são os luaus e festas à beira-mar, regados a muito reggae.

Para mais informações sobre passagens e pacotes ligue para a BACC Travel, (212) 730-1010.

Por Camila Honorato e Ludmilla Balduino do site: viagemeturismo.abril.com.br