O processo para escrever o título ou “chamada” de um artigo com intenção de vender algo (carta de venda) é completamente diferente ao processo de escrever qualquer outra parte dessa carta de vendas. O título é a sentença mais importante em qualquer tipo de “chamada”, seja através de um email ou em uma divulgação na web ou impressa, etc.

O titulo merece uma atenção especial na sua criação, pois a partir dele, o potencial comprador continuará lendo ou não o que você tem a dizer. Ele capta a atenção. Lembro que bastam 3 segundos de atenção da audiência para fazê-los continuarem lendo a sua mensagem. E como você faz com que seu título conquiste o coração e a mente dessas pessoas? Abaixo vou mencionar 5 passos que irão te ajudar com isso.

A maioria dos “copywriters” profissionais escrevem até 100 títulos para qualquer carta de vendas até chegar a um em definitivo. Cada uma desses 100 títulos é o fruto de muitas horas de reflexão e criatividade. Só porque você está escrevendo um monte delas, não significa que seja colocado menos esforço em cada uma. Aliás, é exatamente o contrário. Essa tática foi criada por copywriters de material impressos porque um teste poderia facilmente custar uma boa grana para eles ou seus clientes. Infelizmente no cenário online, muitos deixam de dar mais atenção aos títulos pelos “testes” serem grátis. Mas isso é um erro. Seja online ou offline, essa tática tem que ser adotada.

Use uma combinação de conceitos originais e conceitos “roubados”.

Se você quer escrever um ótimo título um bom arquivo de inspiração é essencial. Dentro deste arquivo deve haver dúzias de potenciais ideias. Copywriters talentosos geralmente escrevem um título usando conceitos originais ou mesmo, de outros como inspiração. Eles produzem títulos em cima de ambos e objetivamente escolhem a melhor opção depois. Lembro que existe uma grande diferença em se inspirar ou apenas copiar o título e ideia de outro. Quando fa-lo em “copiar” estou me referindo a você ter gostado de um adjetivo usado ou de um formato em que as palavras foram arranjadas, por exemplo, e a partir daí concluir o seu original projeto. Títulos podem vir em diferentes formatos: novidade, benefício, chocante, narração, comparações, etc. Usando as ideias “roubadas”, você trará formatos a seu título que talvez você não conseguisse fazer sozinho.

Escreva alguns títulos no começo, quando você estiver começando a carta de venda. Então escreva mais alguns quando estiver escrevendo o corpo da mensagem. Finalmente, escreva outros quando tiver completado todo o resto. Durante todo o processo, sua mente estará trabalhando de diferentes maneiras. Você terá diferentes ideias em diferentes estágios do processo de criação. Use isso em sua vantagem para trazer as melhores ideias que podem surgir a qual-quer momento.

Todos sabem que ler em voz alta sempre ajuda a memorizar as coisas mais facilmente, e essa tática pode ser adotada como o propósito de fazer fluir as ideias. Leia seus títulos favoritos em voz alta e veja como eles fluem. Eventualmente você encontrará palavras fora de lugar quando ouvir em voz alta. Você também poderá usar um dos títulos criados como um subtítulo, ou segunda parte do título. Esse processo é uma forma fácil de adicionar mais tempero a uma manchete sem graça e manter a carta de venda interessante.

Assim que tiver escrito um bom número de títulos, deixe lá por alguns dias. Isso ajudará a reduzir qualquer preferência que você possa ter adquirido durante o processo de criação. Então comece a selecionar retirando os que você menos gostou, até chegar a apenas um que será o vencedor. Se você achar 100 um número grande, use 75 no mínimo para o começo. No processo de redução e seleção, quando você chegar a 3, você pode pedir pitaco a familiares ou amigos do peito em caso de ficar em cima do muro. Ou simplesmente, use de sua intuição. Até chegar a 3, você pode também preservar os 3 e se dar ao luxo de fazer alguns testes para ver quais deles tem o melhor desempenho.

Escrever de 50 a 100 títulos, usar conceitos originais ou adaptar conceitos já existentes, nunca tentar fazer todas ao mesmo tempo, ler em voz alta para fazer as ideias fluírem, e ir eliminando até se chegar a 5, 3 e 1. Este é o processo que os melhores copywriters do mundo usam para escrever suas chamadas ou manchetes.

LINDENBERG JUNIOR
Jornalista & consultor
www.kisuccess.com