Pensar no Nordeste brasileiro é pensar em praias, coqueiros e clima quente o ano todo. Em João Pessoa, capital paraibana, o cenário não é diferente.

Jampa – como é carinhosamente chamada por seus moradores – é uma capital que mistura tranquilidade à beleza. Quem viaja à cidade percebe seu ritmo desacelerado, que permite ter pequenos prazeres, como caminhar na areia e mergulhar no mar, sem grandes esforços. A orla da cidade, com edifícios baixos, muitos coqueiros e toda a proximidade com o mar que um visitante merece, é um convite para andar e sentir a brisa do mar. Isso tudo sem falar na culinária, que mistura peixes e frutos do mar aos sabores do sertão sem exagerar no preço – o paladar e o bolso agradecem.

Entre as atrações de João Pessoa estão as praias de cor esverdeada, como Tambaú, Cabo Branco e Bessa, onde até ninhos de tartaruga se vê, e os passeios. Reservar um tempo para conhecer também as piscinas naturais de Picãozinho, na frente de Tambaú, e a Ilha de Areia Vermelha, um banco de areia que se forma na maré baixa, é imprescindível! Não deixe conhecê-los! No fim do dia, a tradição mais famosa da cidade é ir até a praia fluvial do Jacaré para admirar o Bolero de Ravel tocado no sax de Jurandy – a cerimônia é tão famosa que se tornou patrimônio cultural e imaterial da Paraíba.

Vale a pena visitar!

Pontos Turísticos

Grande parte dos turistas viaja à capital paraibana para aproveitar o litoral, mas quem busca um lado mais cultural ou histórico também encontrará essa faceta de Jampa.

Para começar o roteiro em João Pessoa, nada melhor do que ir ao Farol do Cabo Branco. A vista para o mar de onde está o farol é linda e rende muitas fotos! Na mesma região, vale a pena conhecer a Estação do Cabo Branco, um espaço projetado por Niemeyer e dedicado a ciência, cultura e arte, onde hoje se vê exposições e experimentos, além de permitir a observação do céu com telescópios.

Reserve um tempo para explorar o centro de João Pessoa e admirar o lado antigo da cidade, visto em obras como a Casa de Azulejos, o Centro Cultural São Francisco, o Hotel Globo – muito frequentado antigamente na hora do chá, para apreciar o pôr do sol – e o belo conjunto de casarões da Praça Antenor Navarro.

O que fazer em Jampa

João Pessoa não é das mais famosas capitais brasileiras, porém vem se destacando no cenário nacional e se tornando uma boa concorrente de grandes cidades turísticas. O sucesso se deve à tranquilidade que Jampa oferece e ao bom custo-benefício.

Durante o dia, grande parte dos turistas se reveza entre as praias e os passeios oferecidos na cidade. Para quem se hospeda na orla, chegar à praia é muito prático, pois a maioria dos hotéis está pertinho do mar. Tambaú e Cabo Branco são praias gostosas, que não podem passar em branco durante sua viagem.

Depois de curtir um mergulho e descansar na areia, reserve um tempo para conhecer os pontos turíticos além-mar. Visite o Farol de Cabo Branco (um farol de formato triangular que simboliza o ponto mais oriental das Américas – a Ponta do Seixas, ou “Porta do Sol”, como chamam os paraibanos), a Estação Cabo Branco, projeto de Niemeyer que abriga movimentos educacionais e artísticos, e o centro histórico da cidade, com o conjunto de casarões coloridos da Praça Antenor Navarro, o Hotel Globo e o Centro Cultural São Francisco, onde impera o estilo barroco.

Na hora de fazer os passeios, não dá para deixar de fora do roteiro o pôr do sol na Praia do Jacaré e a Ilha de Areia Vermelha, um banco de areia que se forma na maré baixa. Ambos são passeios belíssimos, que você não pode deixar de fazer. No final do dia, a melhor pedida é ir à praia fluvial do Jacaré apreciar o sol se pondo ao som do Bolero de Ravel, tocado por Jurandy do Sax. A cerimônia é tão famosa que se tornou Patrimônio Cultural e Imaterial da Paraíba – espetáculo para os olhos e para os ouvidos! Não perca!

À noite, o movimento no calçadão e nos arredores da feirinha de Tambaú é intenso. Quem prefere um programa mais leve pode apenas sair para dançar; já quem prefere algo mais animado pode encontrar casas noturnas e diversos bares na cidade.

Uma boa ideia é aproveitar sua ida à Paraíba para aprender a dançar forró, o ritmo local. A dica é ir ao Fellini às segundas e às quintas-feiras ou ao KS Bar nas sextas e nos sábados.

A dica principal em relação aos passeios – vale para outros destinos no Nordeste – é sempre prestar atenção na tábua de maré. As semanas de lua cheia e lua nova são as melhores para fazer passeios que dependam da maré baixa. Confira detalhes no site da Marinha.

As piscinas naturais de Picãozinho, na frente da Praia de Tambaú, são ótimas para um mergulho e para observar peixinhos. Quanto mais baixa a maré, mais legal fica para vê-los! Saindo um pouco da área urbana, deixe-se encantar pelas praias do litoral sul paraibano e conheça as belezas de Coqueirinho e Tambaba – uma praia naturista muito famosa. Esse passeio pode ser feito em carro próprio, van ou até buggy.

Um dos passeios mais excêntricos (por isso, superprocurado por turistas) é o que vai à Praia de Areia Vermelha. A praia é, na verdade, um banco de areia no meio do mar, visível apenas na maré baixa, que fica cheio de visitantes e vendedores no pouco tempo em que o mar permite caminhar por suas areias. Na maré baixa chegam vários barcos à Ilha e, conforme a maré vai subindo, os barcos voltam para a praia.

Jampa é uma cidade onde o turismo está se desenvolvendo rápido e que possui uma boa estrutura para seus visitantes. Gastronomia de qualidade, bom custo-benefício e oportunidade para comprar artesanato e belezas naturais são os pontos fortes da pequena capital. É lá onde o sol nasce primeiro, onde o forró fala mais alto e onde o turista encontra um pouco de sossego, mesmo estando em uma capital.

Fonte: www.melhoresdestinos.com.br, por Camille Panzera