A primeira participação brasileira em uma edição de Jogos Olímpicos de Inverno aconteceu em Albertville, em 1992. Desde então, o Time Brasil esteve presente em todas as edições da competição. Esta será a 8ª vez que o Brasil irá participar dos Jogos Olímpicos de Inverno. Este ano na Coréia do Sul, na cidade de PyeongChang.

A primeira participação brasileira nas Olimpíadas de Inverno foi na França no ano de 1992 na cidade de Albertiville, onde disputou provas de Esqui Alpino.

Em 2002, o Brasil participou das Olimpíadas em Salt Lake City, onde adicionou as modalidades de Esqui Cross Coutry, Bobsled e Luge.

No ano de 2006 foi a vez de ir para a cidade de Turim e levar o Snowboard, dando a Isabel Clark Ribeiro o 9º lugar e o melhor resultado na prova de Snowboard Cross. Ela foi responsável pelo melhor resultado do Brasil em Jogos de Inverno.

No ano de 2010 o Brasil não participou do Bobsled, mas no ano de 2014 na cidade de Já Sochi, na Rússia, os brasileiros levou sua maior delegação e incluiram mais duas modadalidades: o Biatlo de Inverno e o Esqui AéreoA maior delegação brasileira de inverno até hoje disputou com 13 atletas em sete modalidades (esqui alpino, esqui cross country, snowboard cross, esqui aéreo, biatlo, bobsled e patinação artística). 

Nessa Olimpíada de PyeongChang 2018, o Brasil teve um grande apoio com a união do Comitê Olímpico do Brasil, a Confederação Brasileira de Desportos no Gelo e a Confederação Brasileira de Desportos na Neve que se dedicaram em preparar a equipe brasileira para conseguir grandes resultados.

As duas Vilas Olímpicas dos Jogos: Gangneung, na costa, e a vila de PyeongChang, na montanha estarão a disposição da delegação brasileira. Já o restante da delegação ficará alojada na vila de PyeongChang, na montanha, onde serão realizadas as competições de bobsled, esqui alpino e cross country, além do snowboard.

O Brasil terá a participação em PyeongChang dos atletas experientes adicinados aos novatos. Jaqueline Mourão, do Esqui Cross Coutry que está na equipe dos experientes com sua sexta participação se igualando ao Formiga (futebol) com o maior número de participações olímpicas entre as atletas brasileiras, e também a Torben Grael e Robert Scheidt (vela), Rodrigo Pessoa (hipismo) e Hugo Hoyama (tênis de mesa) também com seis edições de Jogos Olímpicos. 

Isabel Clark, do Snowboard Cross, que está em sua quarta participação; e Edson Bindilatti como piloto no Bob masculino e na equipe desde as competições de 2002 em Salt Lake.

Estarão participando pela primeira vez das competições na equipe brasileira Michel Macedo no Esqui Alpino nascido em Fortaleza e residente de Oregon (EUA). Macedo foi Top 15 nos Jogos Olímpicos da Juventude Lillehammer 2016, até hoje o melhor resultado brasileiro olímpico na modalidade, e Victor Santos no Cross Country que é um dos jovens destaques do projeto social Ski na Rua, do atleta olímpico Leandro Ribela (Vancouver 2010 e Sochi 2014). O Cross Country é uma modalidade de resistência, na qual os atletas percorrem médias e longas distâncias sobre esquis, impulsionados por bastões.

Isadora Williams, terá sua segunda participação na Patinação Artística e apesar da pouca idade, tem muitas chances de medalhas. Ela foi a primeira atleta brasileira a conquistar a vaga para PyeongChang, em setembro de 2017. Na ocasião, ela ficou na quinta posição do Troféu Nebelhorn, na Alemanha, e conquistou uma das seis vagas olímpicas restantes na modalidade. Isadora disputou os Jogos Olímpicos Sochi 2014 e desta vez ficará na Vila de Gangneung, na costa, próxima a instalação onde competirá, na Gangneung Ice Arena.

O Brasil sendo um pais tropical teve a colaboração de preparo fisico, técnico e atualização dos equipamentos. Tudo isso, unido ao nível elevado dos atletas brasileiros que estarão disputando essa olimpíada da Coréia do Sul com grande chances de medalhas.

Soohorang, o Mascote das Olimpíadas de Inverno de 2018

Soohorang. Esse é o nome do mascote das Olimpíadas de Inverno de 2018, um tigre branco.

Assim, isoladamente, o nome não nos diz muita coisa, mas foi escolhido cautelosamente, conforme se percebe das informações colhidas no site oficial dos Jogos.

A expressão “Sooho” significa proteção em coreano. Já “Rang” provém da parte central da expressão “Ho-rang-i”, palavra coreana que significa “tigre”. Também é uma referência a “Jeong-seon A-ri”, uma canção popular tradicional da Província de Gangwon, palco dos Jogos.

Ademais, o tigre branco é considerado o animal guardião da Coreia. Percebe-se, portanto, que o nome simboliza a proteção que é direcionada a todos os participantes dos Jogos.

Fonte: www.perspectivaonline.com.br