A última escola a entrar na avenida, levantou o animo do público presente que não voltou pra casa, e o público gritava sem parar mesmo antes de entrar na avenida: “É campeã!”

As questões do desemprego, currupção, roubalheira, o péssimo investimento em educação, abandono de crianças e saúde, foram destaque do samba enredo “Monstro é aquele que não sabe amar os filhos abandonados da pátria que os pariu”, encantou a todos que estavam presentes.

Ambição era o nome da alegoria que trazia uma ratazana e logo atrás, veio uma estrutura alegórica que representava a sede da Petrobrás, misturada a vida do cotidiano das favelas e a ganância das empreiteiras.

Componentes que participaram no terceiro carro alegórico representaram cenas de assaltos, estudantes armados, policiais e seus familiares e com um ar pesado, crianças mortas em caixões.

Houve um momento de se referir ao termo “intolerância”, com a presenca de Pablo Vittar e Jojo Toddynho como destaques do carro.

A coreografia foi algo que agradou a todos e no final do desfile, a Beija-Flor levou com ela uma multidão de espectadores que desfilou atrás dos últimos componetes da escola.

ISAURA LA COUR
Jornalista e editora
isaurathebrasilians@gmail.com