A American Airlines anunciou o cancelamento de diversos voos da companhia ligando os Estados Unidos ao Brasil. As mudanças começam a valer a partir de 21 de agosto. Alguns voos serão completamente extintos, enquanto outros terão diminuição da frequência semanal.

Segundo a American Airlines, os passageiros que já compraram bilhetes para os voos que serão cancelados poderão solicitar a mudança para viajar por outros voos operados pela companhia, que poderão ser feitos em conjunto com empresas parceiras.

O anúncio acontece poucos dias após a empresa comemorar a aprovação, pelo Congresso Nacional, do acordo de céus abertos entre Brasil e Estados Unidos.

O acordo acaba com a limitação de voos entre os dois países e era defendido como uma forma de aumentar a oferta de voos, o que reduziria o preço das passagens. A decisão da companhia aérea norte-americana, no entanto, vai pelo caminho oposto com a redução de oferta em diversas cidades.

As mudanças da American Airlines para o Brasil são:

Miami – São Paulo: Atualmente, há três voos diários, sendo dois noturnos e um diurno; a partir de 21 de agosto de 2018, o voo diurno deixa de existir.

Miami – Belo Horizonte: Cancelamento total da rota a partir de 21 de agosto de 2018.

Nova York – Rio de Janeiro: Atualmente, há voos diários; a partir de 21 de agosto, a frequência passa a ser de cinco voos por semana. Haverá voos sazonais diários durante o verão, operando até 16 de março de 2019. Depois disso, este voo só operará sazonalmente a partir de dezembro de 2019.

Los Angeles – São Paulo: Redução de cinco para quatro vezes por semana a partir de 19 de dezembro de 2018.

Dallas – Rio de Janeiro: Cancelamento total do voo a partir de 19 de dezembro de 2018.

Lenta recuperação da economia

Segundo a American Airlines, o cancelamento ocorre por causa da lenta recuperação da economia brasileira.

“Estamos apenas gerenciando nossa capacidade no Brasil em resposta às condições de mercado que não se recuperaram tão rapidamente quanto esperávamos. A American Airlines avalia sua rede com base na oferta e demanda em cada rota, garantindo nosso sucesso a longo prazo frente a concorrência global”, afirma a companhia em comunicado.