Abraham Lincoln nasceu em 1809, na cidade de Hardim no Kentucky, EUA.

Na juventude Abraham Lincoln teve vários empregos, foi lenhador, serralheiro, barqueiro, balconista e Chefe dos Correios da Aldeia de Salem em Illinois. Como Capitão foi voluntário, na luta contra os índios no sul do Estado.

Em 1834 elegeu-se Deputado pela Assembleia de Illinoise e em 1846, Deputado Federal. Como representante de Illinois, propôs a emancipação gradativa para os escravos, o que desagradou tanto aos abolicionistas quanto aos defensores da escravidão. Fez oposição a invasão de terras no México, mas no final novas terras foram anexadas aos Estados Unidos. Lincoln fazia campanha para que essas novas terras ficassem livres da escravidão.

Em 1854 participou da fundação do Partido Republicano.

Grandes transformações sociais ocorriam no país. A rivalidade política entre o Partido Democrata, dos aristocratas do sul e o Partido Republicano da burguesia industrial do norte, gerava vários conflitos.

Em 1858, candidato ao Senado pelo novo Partido Republicano, perdeu as eleições mas tornou-se líder dos republicanos. Em 1860, disputou o pleito para a presidência da república e elegeu-se o 16º presidente dos Estados Unidos.

Lincoln teve de enfrentar o separatismo de sete estados escravistas do sul, no início de seu governo, que formaram os Estados Confederados da América. O presidente foi firme e prudente: não reconheceu a secessão, ratificou a soberania nacional sobre os estados rebeldes e convidou-os à conciliação, assegurando-lhes que nunca partiria dele a iniciativa da guerra. Abraham Lincoln encontrou o governo sem recursos, sem exército e com uma opinião pública que lhe era favorável somente em reduzida escala. Com vontade férrea iniciou uma luta que primeiramente lhe foi adversa. Começou a guerra com um Exército de sete mil soldados. Em apenas um ano, duplicou o Exército, organizou a Marinha e obteve recursos. Os confederados haviam consolidado sua situação, com a adesão de mais quatro estados aos sete sublevados. Em 3 de julho de 1863 se travou a batalha de Gettysburg, vencida pelas forças do norte.

Lincoln, que decretara a emancipação dos escravos e tomara outras providências liberais, pronunciou, meses depois, ao inaugurar o cemitério nacional de Gettysburg, o célebre discurso em que definiu o significado democrático do governo do povo, pelo povo e para o povo.

A guerra continuou ainda por dois anos, favorável à União. Lincoln foi reeleito presidente em 1864. Em 9 de abril de 1865, os confederados renderam-se em Appomattox.

Embora ele fosse considerado conservador ou reformista moderado no início, as últimas proposições foram avançadas. Preparava um programa de educação dos escravos libertados e sugeriu que fosse concedido o direito de voto a uma parcela de ex-escravos.

Em 14 de abril de 1865, Lincoln as-sistia a um espetáculo no Teatro Ford, em Washington, quando foi atingido na nuca por um tiro de pistola desferido pelo ator John Wilkes Booth, que se mostrou contrário à abolição da escravidão. Faleceu no dia seguinte.

Fonte: www.ebiografia.com, por Dilva Frazão