Em fase final de negociações, a carne brasileira deverá ter exportação ampliada para a China e começará a ser vendida nos mercados da Indonésia e da Coreia do Sul, informou o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi. Segundo o ministro, uma missão chinesa virá ao Brasil para ampliar o número de plantas frigoríficas autorizadas a embarcarem todos os tipos de carnes (bovina, suína e de aves) ao país.

Os coreanos irão importar a carne suína brasileira, fornecida por Santa Catarina, por ser área livre da febre aftosa sem vacinação, enquanto técnicos indonésios estiveram no Brasil para discutir os detalhes. Além disso, brasileiros e russos acertam a retomada do comércio, suspenso desde 2017. O ministro já enviou uma carta às autoridades sanitárias da Rússia informando as medidas adotadas pelo País para retomar os embarques.

Índia

Também foi oficializada a importação de embriões bovinos e suínos vi-vos do Brasil para a Índia, o que aumenta a presença brasileira na Ásia. Desde 2016, o Brasil exporta sêmen bovino para produtores indianos. Maior produtor de leite do mundo, a Índia é o local de origem do gado Zebu.

Porém, o melhoramento genético realizado no gado zebuíno brasileiro trouxe resultados em ganhos de produtividade e o tornou atraente aos produtores daquele país, de acordo com a Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Com a abertura para exportação de embriões, o País aumenta a presença na pecuária indiana.

Fonte: Governo do Brasil