Gabriel García Márquez (1927-2014) nasceu em Aracataca, Colômbia, no dia 6 de março de 1927. Filho de Gabriel Elísio García e de Luisa Santiaga Márquez. Gabriel Estudou no Liceu Nacional de Zipaquirá em Barranquilla.

Com 17 anos, decidiu se tornar escritor, segundo ele, após ler A Metamorfose de Kafka descobriu que o alemão contava as coisas da mesma maneira que sua avó. Em 1947 mudou-se para Bogotá para estudar Direito e Ciência Política na Universidade Nacional da Colômbia, porém não concluiu o curso. Nesse mesmo ano, publicou seu primeiro conto “A

Terceira Resignação”, no jornal El Espectador.

Em 1948, Gabriel García Márquez foi para Cartagena onde começou o trabalho de jornalista no El Universal. Em 1949 foi para Barranquilla como reporte do El Heraldo. Em 1954 começou a trabalhar no El Espectador como reporter e crítico. Em 1955, pulicou seu primeiro romance “A Revoada” (O Enterro do Diabo).

Em 1958, foi para a Europa como correspondente do El Espectador. Em 1962 foi para Nova Iorque como correspondente. Por sua filiação ao Partido Comunista, suas críticas aos exilados cubanos e sua amizade com Fidel Castro, o levaram a ser perseguido pela CIA e não conseguiu seu visto de permanência no país.

Ainda em 1962, Gabriel García Márquez ganhou o Prêmio Esso de Romance, na Colômbia, com o romance “O Veneno da Madrugada” (1962). Acusado de colaborar com a guerrilha colombiana, exilou-se no México, onde escreveu aquele que seria seu romance mais popular e sua obra-prima, “Cem Anos de Solidão” (1967), um épico sobre uma família fictícia, Buendia, na imaginária cidade de Macondo. Nele, o escritor mescla lembranças pessoais com acontecimentos extraordinários.

O romance foi escrito em uma época de muito sofrimento,

quando sua família acumulava dívidas. Para enviar o original datilografado à Argentina, o escritor precisou penhorar até seu aquecedor elétrico. Mas a recompensa chegou em 1972, quando recebeu o Prêmio Latino-Americano de Romance Rômulo Gallegos pela obra. Em 1971 voltou aos Estados Unidos para receber o título de Doutor Honoris Causa da Universidade de Columbia. Em 1982 ganhou o Prêmio Nobel de Literatura, pelo conjunto da obra. Em 1981 recebeu a Medalha da Legislação Francesa.

Gabriel García Márquez era tão apaixonado por cinema que pensou em ser cineasta. Além da vasta produção literária de romances, contos, trabalhos jornalísticos, foi também roteirista de diversos filmes. Foi para Roma estudar como os filmes eram feitos. Esteve à frente de duas instituições dedicadas ao cinema, a Fundação do Novo Cinema Latino-Americano, da qual era presidente e da Escola Internacional de Cinema e TV de San António de Los Baños, ambas em Cuba. Fiel ao Comunismo e aliado dos cubanos, criou em Cuba um curso de cinema pelo qual passaram alguns realizadores brasileiros.

Gabriel García Márquez faleceu na Cidade do México, México, no dia 17 de abril de 2014.

Fonte: www.ebiografia.com, por Dilva Frazão