A araponga é uma espécie de ampla ocorrência na Mata Atlântica, com distribuição que vai do nordeste ao sul do Brasil, passando por Argentina e Paraguai. Destaca-se na mata graças à cor branca contrastante do macho com a vegetação, e uma vocalização inconfundível que lembra um martelo numa bigorna. A fêmea, no entanto, é verde-oliva, com a cabeça cinza e a parte inferior amarela com estrias amarelo-esverdeadas e cinzentas, se camuflando mais facilmente na mata.

Devido a fragmentação da Mata Atlântica e da caça ilegal da espécie para criação em gaiola, ela hoje se encontra ameaçada de extinção (VU – Vulnerável).

A espécie é encontrada principalmente em regiões montanhosas com altitude superior a 1000 metros. No sudeste do país, acredita-se que a araponga seja migratória. A ecologia migratória da espécie pode também estar relacionada com a frutificação do palmito-jussara o que também a torna uma importante dispersora dos frutos dessa palmeira tão ameaçada da Mata Atlântica. Para entender um pouco sobre a rota migratória dessa espécie o Instituto americano Smithsonian está colocando GPS nas aves no sul do Brasil.

SAVE Brasil

O Brasil possui 1919 espécies de aves, o que o torna o 2º país com a maior diversidade de aves no mundo. Nos últimos 10 anos, cerca de 230 mil aves provenientes do comércio ilegal foram apreendidas somente no estado de São Paulo.

A Sociedade para a Conservação das Aves do Brasil (SAVE Brasil) é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos, que foca na conservação das aves brasileiras, alem de fazer parte da aliança global da BirdLife International em mais de 100 países.

Com foco nas aves, a SAVE Brasil atua para conservar os ambientes naturais e melhorar a vida das pessoas, e já contribuiu na conservação do equivalente a 60.000 campos de futebol de Mata Atlântica através da criação de Unidades de Conservação, onde cuida da preservação de mais de 600 espécies de aves, sendo 40 delas ameaçadas de extinção.

Fonte: www.savebrasil.org.br