As carpas, que são espécies de peixes da família Cyprinidae, também são consideradas espécies exóticas invasoras. Elas se adaptam ao ambiente onde foram introduzidas, desenvolvem grande poder de reprodução e dispersão, o que contribuem para a extinção de animais e plantas e a modificação do habitat, entre outros impactos.

Existem diversas espécies nesta família (mais de duas mil) e algumas são cultivadas comercialmente. No Brasil, foram introduzidas as carpas comuns e as chamadas carpas chinesas, apesar da carpa comum também ser de origem chinesa.

Além destas, as carpas indianas catla (Catla catla), rohu (Labeo rohita), mrigal (Cirrhinus mrigala) e kalbasu (Labeo calbasu) são cultivadas em larga escala em diversos países. Essas carpas indianas possuem o formato mais arredondado em função da cabeça ser pequena e de maior altura.

A carpa comum é a espécie mais cultivada em todo o mundo. Confira algumas curiosidades:

• Foi a primeira espécie cultivada pelo homem, em 500 A. C. Originária do leste da Ásia, foi introduzida na Europa no século XIII, e como esta introdução se deu na Alemanha, até hoje muitos a chamam de carpa alemã.

• As carpas comuns são onívoras, mas preferem se alimentar de pequenos animais que ficam no fundo dos viveiros. Além do hábito de revolver o sedimento, essas carpas costumam furar a parede dos tanques (escavados) à procura de alimento e com isso causam a queda das laterais.

• A carpa pode atingir mais de 15 kg, porém, para comercialização o peso desejado varia de 800g a 2 Kg.

Espécies exóticas

Por não possuírem predadores naturais, as espécies exóticas invasoras se multiplicam rapidamente, competindo ou mesmo se alimentando diretamente das espécies nativas.

Fonte: http://peixevivocemig.blogspot.com