No espetáculo “Uma Saudação a Whitney Houston” que aconteceu no Teatro Antônio Fagundes, no Rio de Janeiro, a estrela Vanessa Jackson surpreendeu o público com sua potente voz e encarnação da cantora, que é praticamente impossível de se interpretar.

Que Whitney Houston foi uma das vozes mais potentes que já passaram por essa vida, não é novidade para ninguém. A diva faleceu em 2012 e deixou um legado eterno com seus clássicos e seu alto alcance vocal. Podemos dizer que uma pessoa que faz um cover de suas músicas, é no mínimo ousada.

Ao começar o espetáculo, Vanessa entrou com um vestido amarelo inspirado no usado por Houston, na África do Sul, em 1994. ‘Greatest Love Of All’, um dos maiores hits, já chega arrepiando com uma voz surpreendente. Na primeira música, a artista conseguiu arrancar aplausos inúmeras vezes.

Em um discurso de homenagem à cantora, Vanessa confirma sua adoração pela homenageada da noite.

“Nunca vamos deixar essa imagem dela morrer. Uma das maiores divas que tivemos no planeta”, ela afirma.

Vanessa é um show à parte. Se comunica com membros da plateia, dá um show de carisma, manda corações e aponta para os presentes.

Sempre mantendo a qualidade impecável das faixas, ela não desafina uma única vez durante os 100 minutos de show. Ao mesmo tempo em que ela consegue segurar agudos dificílimos, ela faz graves pesados e admiráveis.

Antes de ‘Didn’t Know My Own Strength’, conta sobre a importância do grande retorno da diva, que aconteceu em 2009, anos antes dela falecer. A música que mostra superação e força foi cantada de forma profunda e emocionante, assim como aconteceu originalmente na época.

Outro ponto que merece destaque é o detalhismo dos figurinos de Iria Goya. As réplicas simples porém minuciosamente pensadas casavam com as épocas e perucas usadas.

Um dos momentos mais impressionantes do show foi o trio ‘I Love You, Porgy’ / ‘And I Am Telling You I’m Not Going’ / ‘I Have Nothing’, com direito a figurino inspirado na apresentação em que foi cantado, em 1994, no American Music Awards. Três músicas de alta potência vocal realizadas com excelência.

Ao final do show, em ‘It’s Not Right But It’s Okay’, um vestido dourado e extravagante é usado. A cantora desce na plateia e cumprimenta um por um, fazendo todo mundo dançar e se divertir com o clima do local.

Ao introduzir a última e mais esperada música da noite, ela conta que ‘I Will Always Love You’ marcou todo mundo. E ela tem razão, quanto a importância da cantora e da trilha sonora mais vendida de todos os tempos, de “O Guarda Costas”. Não existe um karaokê, um lugar em que as pessoas não reconheçam a grandiosidade dessa música. Executada com perfeição, ela emocionou o público de pé.

Para finalizar o espetáculo, foi escolhida ‘I’m Every Woman’, o que deixou os presentes animados e satisfeitos. Acessível, Vanessa foi tirando selfie com todos que iam à frente do palco. Ela mostrou que tem carisma, presença de palco, voz e leveza para conduzir uma homenagem à diva das divas.

Sem dúvidas, um espetáculo para todas as idades. Para quem é fã, e para quem não conhece tanto a importância de Whitney.

Fonte: www.midiorama.com por Alexandre Levy