Acordo fechado entre os dois países prevê alíquota de 30% para a importação do produto do Brasil. Além disso, o importador também precisa pagar um imposto de 12%, equivalente ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

De acordo com o Mapa, a abertura começou, quando o governo da Índia autorizou a importação do Brasil de embriões bovinos “in vitro”. Ocorre também no momento em que as vendas do agronegócio brasileiro para o país asiático cresceram 114% de janeiro a agosto deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado.

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) comemorou a abertura do mercado indiano para a carne suína do Brasil.

Dona da segunda maior população do mundo, a Índia vive um processo de urbanização, tornando o país um dos mercados mais atrativos para o setor de proteína suína.

Fonte: Governo do Brasil