T. S. Eliot nasceu em St Louis, Missouri, EUA, no dia 26 de setembro de 1888. Filho de Henry Ware Eliot, empresário e tesoureiro da Brick

Company Hidráulico-Press, e de Charlotte Champe Steams, uma assistente social. Entre 1898 e 1905 frequentou a Smith Academy, onde estudou latim, grego antigo, francês e alemão. Nessa época começou a escrever seus primeiros poemas.

Estudou Filosofia no Harvard College, Filosofia na Sorbonne, e de volta a Harvard, estudou Filosofia Indiana e Sânscrita. Em 1914 mudou-se para a Inglaterra com uma bolsa para a Merton College, em Oxford, onde se dedicou às pesquisas filosóficas.

O ano de 1915 foi marcado com a publicação de seu primeiro poema importante, “The Love Song of John Alfred Prufrock” (A Canção de Amor de J. Alfred Prufrock), na revista Poetry, com a ajuda do poeta e editor americano Ezra Pond. O poema que foi descrito como um “drama de angústia literária” é um monólogo de um homem urbano frustrado nos seus desejos. Foi considerado chocante e ofensivo para uma época em que a Poesia Gregoriana imperava, com suas derivações românticas do século XIX. Nesse mesmo ano, casa-se com Viviene HaighWood, uma jovem da sociedade londrina.

T. S. Eliot passa a lecionar mas abandona o magistério para trabalhar no Lloyds Bank de Londres, como editor assistente do Egoist, e de outras publicações, como The Athenaeum, e até de periódicos especializados em política e economia bancária, como o Lloyds Bank Economic Review.

Ainda em 1917, publicou seu primeiro volume de versos, “Prufrock and Other Observations”, onde reuniu 12 poemas. Em 1920, publica “The Sacred Wood”, uma coletânea que reúne alguns de seus melhores textos críticos da juventude. Em 1922, publica “The Wast Land” (A Terra Devastada), uma longa discrição poética da Europa do pós-guerra. A obra o consagra como um dos expoentes da literatura inglesa. Em 1923 torna-se diretor da editora Faber & Faber.

Em 1925 publicou “The Hollow Men” (1925) (Os Homens Ocos). Em 1927, converteu-se à religião anglicana e obteve a nacionalidade britânica. Em 1930 publicou “Ash Wednes Day”. Escreveu as peças: “The Rock” (1934) (O Rochedo), e “Murder in the Cathedral” (1935) (Assassinato na Catedral), entre outras. Em 1948 recebeu o Prêmio Nobel de Literatura.

T. J. Eliot faleceu em Londres, Inglaterra, no dia 4 de janeiro de 1965.

Fonte: www.ebiografia.com por Dilva Frazão