O Acre é a união da tradição com a modernidade na construção do desenvolvimento humano e considerado uma sociedade única de preservação de valores e costumes da “Florestania”, que são os princípios de respeito ao meio ambiente e à multiplicidade sociocultural. E sendo a maior biodiversidade da Terra, com seus 16 milhões de hectares de floresta tropical, metade dos seus habitantes moram nas florestas. Dentre eles estão índios e donos de reservas indígenas das mais diferentes etnias.

Não é só a biodiversidade que se destaca no Estado, mas sua história forte e singular também. O Acre passou por muitos processos de lutas pela sua terra, que foi tomada por colonizadores durante o tempo que a borracha foi descoberta na região, mas seus habitantes e os seringueiros (aqueles que extraem o látex das seringueiras para a produção de borracha), entraram em confronto com os colonizadores para ocuparem a região. Mesmo que tenham passado os tempos dourados da borracha e as épocas de lutas, a história ainda está presente nas paisagens acrianas, como em Xapuri,

cidade histórica, considerada o Berço da Revolução Acriana e símbolo do Movimento Ambientalista Mundial, e que também foi sede de eventos importantes relacionados à luta de Chico Mendes, seringueiro e líder sindical.

Xapuri

A “Princesinha do Acre”, Xapuri é uma cidade histórica, berço da Revolução Acreana e símbolo do Movimento Ambientalista Mundial. A cidade é conhecida também pelo seu morador ilustre, o seringueiro e líder sindical Chico Mendes. A cidade de Xapuri foi sede de eventos importantes relacionados à luta de Chico Mendes e tem como uma de suas atrações a casa onde o líder seringueiro foi morto, em 1988.

Na Reserva, também chamada de Projeto de Assentamento Agroextrativista Chico Mendes, está o Seringal Cachoeira, onde familiares do ambientalista vivem até hoje. No local, é possível vivenciar o dia a dia dos sábios seringueiros e aprender sobre as histórias e lendas da floresta e seus povos.

Fonte: www.feriasenobrasil.com.br