Você sabe a importância da água para o funcionamento do seu corpo? É simples entender. Do total de composição do corpo humano, 70% ou mais é de água. E ela tem várias funções. A água funciona, por exemplo, como um solvente, diluindo substâncias, inclusive os nutrientes, e levando-as para as células. Além disso, ela ajuda a eliminar o que nos é prejudicial.

Segundo o personal trainner Hander Reis, o ato de beber água já foi apenas uma obrigação, mas hoje a relação com este “líquido precioso” é bem melhor. “Agora eu bebo para um melhor funcionamento físico. Sinto o metabolismo mais acelerado, melhor funcionamento dos órgãos vitais e disposição”, conta. Hander bebe cerca de 5 a 10 garrafinhas de 700ml de água por dia, a depender da intensidade dos treinos de musculação, atividade que pratica. “Eu falo toda hora para meus alunos: – Beber água é vida, melhora disposição, a pele fica mais bonita”, detalha.

A falta de água ocasiona vários malefícios à saúde. “O primeiro sinal da falta de água é a desidratação, que vai evoluindo e piorando. Os primeiros sintomas são a sede e a fadiga física. Eles são um alerta do corpo para que a gente faça a ingestão da água, porque já há aumento nos estoques de sódio. Eles podem ir subindo em concentrações ameaçadoras e o rim será bastante prejudicado. Essa e outras substâncias aumentarão na circulação sanguínea, aí entramos num processo de intoxicação, até chegar numa situação mais grave em que não se tem nem como respirar”, explica a nutricionista Márcia Cândido.

Portanto, não é preciso esperar sentir sede para beber água. O consumo de água precisa ser distribuído ao longo do dia, em porções, para se manter um padrão de hidratação. “Água consumida de uma vez só também não é bom. Se não, os estoques do sódio serão eliminados de forma excessiva e isso também faz mal. Então o ideal é que se divida em copos até que no fim do dia você tenha tomado o total necessário”, alerta a Márcia Cândido.

O Guia Alimentar para a População Brasileira destaca que sem água é possível sobreviver apenas por alguns dias. Essa informação por si só mostra a importância da hidratação. Ainda de acordo com a publicação, “a quantidade de água que precisamos ingerir por dia é muito variável e depende de vários fatores. Entre eles estão a idade e o peso da pessoa, a atividade física que realiza e, ainda, o clima e a temperatura do ambiente onde vive. Para alguns, a ingestão de dois litros de água por dia pode ser suficiente, outros precisarão de três ou quatro litros ou mesmo mais, como no caso dos esportistas”.

Na contabilidade diária, o objetivo é que a quantidade ingerida corresponda à água que foi utilizada ou eliminada pelo corpo. “O balanço diário de água é controlado por sofisticados sensores localizados em nosso cérebro e em diferentes partes do nosso corpo. Esses sensores nos fazem sentir sede e nos impulsionam a ingerir líquidos sempre que a ingestão de água não é suficiente para repor a água que utilizamos ou eliminamos. Atentar para os primeiros sinais de sede e satisfazer de pronto a necessidade de água sinalizada por nosso organismo é muito importante”, diz o Guia.

A maioria dos alimentos in natura ou minimamente processados (aqueles que não passam por processos industriais) e as preparações de alimentos têm água em sua composição. Por exemplo, o leite e a maior parte das frutas contêm entre 80% e 90% de água. Esta água também conta na contabilidade final do dia. “Vale sucos naturais sem açúcar ou adoçantes, vale água saborizada. Mas refrigerantes não entram na conta. No entanto, a recomendação é que seja água pura de preferência”, ensina Márcia Cândido.

Fonte: www.blog.saude.gov.br, por Erika Braz