A região sul dos EUA é o berço dessa forma de arte única, o blues. Parente do gospel, do soul e do rock ‘n’ roll, o blues nasceu em milhares de campos arrendados, casebres humildes e tabernas. Esse ritmo deu voz às esperanças, ao desespero e aos desejos impossíveis da população pobre, desprovida e marginalizada da região sul do país. As origens do blues e pontos importantes para a sua trajetória, desde o início do século XX, passando por uma série de destinos espalhados por três estados e dois festivais importantes.

Memphis, Tennessee: A gastronomia, a história e a tradição de Memphis se movem ao som de duas trilhas sonoras: as águas do poderoso rio Mississippi e os clubes de música ao vivo espalhados pelas cidades. Assim que desembarcar em Memphis, você descobrirá que a música country e western não são os únicos gêneros que surgiram no Tennessee. Visite o Memphis Rock ‘n’ Soul Museum, que mostra um pouco das origens do blues, e o Stax Museum of American Soul, onde você conhecerá os grandes nomes do gênero. O guia de áudio da Beale Street, nas proximidades, fala sobre o avanço do blues, das cidades pequenas para a cidade grande. Também nas proximidades, na South Main Street, a Blues Foundation apresenta artefatos e a Blues Hall of Fame, repleta de itens de arte. Ainda no centro da cidade, o Sun Studio transporta você para o lugar onde B.B. King, Sleepy John Estes e Howlin’ Wolf gravaram suas músicas.

Tunica, Mississippi: Você chegará ao Condado de Tunica pela U.S. Highway 61, a original “rota do blues”, que defini a cidade e inspirou diversos artistas. Conheça a história da rodovia no Gateway to the Blues Visitor Center & Museum, localizado em uma estação de trem de 1895. No local, uma placa da Mississippi Blues Trail apresenta detalhes sobre a rota original. Em Tunica, preste atenção às placas da Blues Trail. Há placas dedicadas a “Son” House, e a “Hardface” Clanton.

Helena, Arkansas: A cidade de Helena tem muita tradição no blues, assim como o rio Mississippi que a cerca. O melhor lugar para admirar a cidade é o Delta Cultural Center, onde as estações tocam músicas de cantores da região do Mississippi Delta. Para aproveitar a experiência ao máximo, tente assistir a uma transmissão ao vivo do programa de rádio King Biscuit Time. Como é de se esperar, também é possível ouvir muito blues ao vivo por aqui. Tente visitar a região na época do King Biscuit Blues Festival, que acontece todos os anos no segundo fim de semana de outubro e conta com apresentações de grandes nomes, como Bonnie Raitt e Bobby Rush.

Clarksdale, Mississippi: Clarksdale é um dos destaques da trilha do blues por diversos motivos: sua movimentada cena de música ao vivo, seus museus e festivais marcantes e a esquina conhecida como The Crossroads, lugar onde a figura lendária do blues, Robert Johnson, supostamente teria vendido sua alma ao diabo para aprender a tocar o blues. Não deixe de conhecer a Cat Head Delta Blues & Folk Art, uma loja para curiosos e amantes do blues. Visite também o Rock & Blues Museum ou o Delta Blues Museum, onde é possível conhecer as ruínas da cabana de Muddy Waters e as guitarras de John Lee Hooker. Também há diversos festivais em Clarksdale, como o Juke Joint Festival, o Delta Busking

Festival e o Pinetop Perkins Homecoming. Para curtir apresentações de música ao vivo durante todo o ano, visita o Ground Zero Blues Club. Você também pode tentar assistir uma apresentação de Robert “Wolfman” Belfour no Red’s Lounge.

Greenville, Mississippi: As visitas à região do delta do Mississippi só ficam completas com uma parada em Greenville, uma cidade agitada onde os sons do blues se espalham pelo rio e pelos campos férteis. O Walnut Street Blues Bar é um ambiente moderno que promove apresentações de blues ao vivo. O Mighty Mississippi Music Festival, dá ênfase a artistas locais, como Eden Brent, Cedric Burnside e outros. Aprecie os murais temáticos de Leland e dê um incentivo a Pat Thomas no Highway 61 Blues Museum, onde o compositor cria músicas no ritmo do blues e obras de arte inspiradas no blues.

Indianola, Mississippi: Assim que chegar a Indianola, você sentirá que tudo faz lembrar de B.B. King. Ele está nos clubes, nos festivais e nos monumentos que homenageiam e demonstram o amor pelo músico da cidade. A vida do mito, de agricultor a astro do blues, é contada no B.B. King Museum and Delta Interpretive Center. Do lado de fora, as placas históricas levam os visitantes a lugares importantes da vida de B.B. King, que vão desde a esquina onde ele ganhou seu primeiro trocado cantando o blues até o famoso Club Ebony. Procure pela estátua em homenagem a B.B. King no parque que leva o nome do cantor e pelo mural que o retrata.

Jackson, Mississippi: As ruas ressoam os sons de grandes nomes da atualidade, como Bobby Rush, integrante da galeria da fama do blues que morou e gravou na cidade, bem como outros nomes que já não moram mais em Jackson, como o pianista Otis Spann. Otis foi um dos muitos artistas que se apresentaram no Alamo Theater, instalação restaurada localizada na histórica Farish Street, no bairro afro-americano da cidade. Visite o teatro ou procure as placas para conhecer um pouco sobre as antigas instalações da Ace Records e da Trumpet Records. Se quiser visitar lugares que continuam em funcionamento, conheça o Queen of Hearts.

Nova Orleans, Louisiana: A tradição dinâmica e multicultural de Nova Orleans originou diversos estilos musicais que permanecem na região e cujos sons tomam as ruas da cidade até hoje. Os bairros Faubourg Marigny e Bywater, principalmente ao longo da Frenchmen Street, estão repletos de estabelecimentos de música ao vivo que tocam zydeco, jazz, gospel, soul e, obviamente, blues. Os artistas do blues instalaram-se em Nova Orleans há muito tempo, e Little Freddie King continua se apresentando na cidade. Confira a programação do House of Blues e do Rock ‘n’ Bowl. Tente participar do New Orleans Jazz & Heritage Festival, evento no qual é possível ouvir todos os estilos musicais associados à cidade. O legado musical da cidade conhecida como “Big Easy” é tão importantes que até mesmo o aeroporto da região leva o nome do lendário trompetista de jazz Louis Armstrong.

Fonte: www.visiteusa.com.br