Federico Fellini nasceu em Rimini, Itália, no dia 20 de janeiro de 1920. Filho de Urbano Fellini e de Ida Barbiani. Com dons para escrever e desenhar decidiu seguir a carreira de caricaturista. Com 18 anos foi para Florença onde trabalhou como caricaturista e publicou seu primeiro desenho no “Semanário 420”. No ano seguinte mudou-se para Roma onde escreveu e desenhou para a revista de humor “Marc Aurelio”.

De volta à revista Marc Aurelio, ingressou no conselho editorial, junto com Ettore Scola, Cesare Zavattini, e Bernardino Zapponi,

futuro roteirista de Fellini, onde trabalhou até 1942.

Depois de escrever pequenos roteiros e piadas para comediantes de rádio, entrou para o cinema como assistente dos diretores Roberto Rossellini, Pietro Germi e Alberto Lattuada. Sua estreia no cinema se deu por trás das câmeras em regime de co-direção ao lado de Alberto Lattuada, no filme “Mulheres e Luzes” (1950).

Com “Abismo de Um Sonho” (1952), Fellini fez sua primeira direção. No filme ele aborda um tema recorrente em sua filmografia: a oposição da realidade e sonho. No ano seguinte dirigiu “Os Boas Vidas” (1953), prêmio no Festival de Veneza. A consagração de Fellini veio com “A Estrada da Vida” (1954), que recebeu o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e o Leão de Ouro no Festival de Cinema de Veneza.

Em 1958, Federico Fellini conquista seu segundo Oscar de Melhor Filme Estrangeiro com “Noites de Cabíria” (1957). Em 1960 dirige “A Doce Vida”, que fala da decadência da burguesia italiana. Em “Oito e Meio” (1963) Fellini faz uma obra autobiográfica sobre um cineasta em crise e recebe seu terceiro Oscar. O quarto Oscar veio com “Amarcord” (1973). No filme ele reconstrói sua juventude em Rimini durante a ascensão política de Mussolini. Em 1993, Fellini foi premiado com um Oscar Especial pelo Conjunto da Obra da Academy Awards de Los Angeles.

Federico Fellini faleceu em Roma, Itália, no dia 31 de outubro de 1993.

Filmografia de Federico Fellini: Mulheres e Luzes (1950), Abismo de um Sonho (1952), Os Boas Vidas (1953), Amores na Cidade (1953), A Estrada da Vida (1954), A Trapaça (1955), Noites de Cabíria (1957), A Doce Vida (1960), Oito e Meio (1963), Julieta dos Espíritos (1965), Satyricon de Fellini (1969), Roma de Fellini (1972), Amarcord (1973), Casanova de Fellini (1976), Cidade das Mulheres (1980), Ginger & Fred (1986), A Voz da Lua (1990).

Fonte: www.ebiografias.com, por Dilva Frazão