A gravidez de mulheres acima dos 40 anos não causa mais espanto. Muitas mulheres que já passaram desta idade afloram seu instinto maternal, seja para o primeiro filho ou depois de já terem sido mães há algum tempo, ou simplesmente engravidam sem planejar.

A gravidez em qualquer idade tem vantagens e desvantagens. Não há como negar que as chances de engravidar após os 40 anos são muito menores, a reserva de óvulos diminui significativamente com a idade. Além disso, os óvulos mais velhos são mais propensos a desenvolver problemas, aumentando o risco de aborto e anomalias ao nascimento. A mulher também possui mais chance de ter pressão alta, diabetes ou outras doenças que agravam ainda mais o risco da gestação.

O gerente do Serviço de Medicina Fetal do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz), Fernando Maia conta que é importante observar alguns fatos importantes com a gravidez nessa idade. “Uma gestante com mais de 40 anos é sempre considerada de alto risco. Essas pacientes são mais propensas às doenças pré-existentes que complicam a gestação como obesidade, hipertensão arterial, doenças da tireóide, diabetes, etc. Possuem ainda maiores riscos inerentes à gestação, como aborto espontâneo, síndrome de Down, diabetes gestacional, pré-eclâmpsia, parto prematuro, macrossomia, anomalias placentárias, gestação múltipla, natimortalidade e crescimento intra-uterino restrito”, explica.

Segundo Maia, algumas dicas são importantes para diminuir a probabilidade de complicações. “Caso exista qualquer condição médica pré-existente, discuta a gravidez com o seu médico para descobrir se a doença está controlada e como a gravidez pode afetar sua condição de saúde”, ressalta.

A maternidade nesta idade é um fenômeno que não podemos ignorar. Hoje é possível contar com mais informações e com profissionais de saúde cada vez mais preparados. “A gestante deve buscar informação sobre o aumento do risco de doenças genéticas, malformações e outras complicações gestacionais. Outro ponto importante é procurar informações sobre os testes que ela poderá fazer durante a gravidez para identificar estas complicações”, conta Maia.

A maternidade fica mais madura

Segundo a bancária Ana Sueli Almeida, que engravidou 16 anos depois da segunda gestação. Com 44 anos, ela deu à luz ao Thiago, mesmo sem escolher ter filhos em uma idade mais avançada, isso permitiu a ela ter uma visão diferente e mais responsável sobre a maternidade. “Você fica mais tolerante, mas tem que ter cuidado com essa com essa tolerância, pela questão da necessidade do limite, e eu não perdi. Mas, hoje, aproveito mais meu tempo com eles, pondero as brigas. Acho que isso tem a ver com a maturidade”, conta ela com brilho nos olhos.

Pelo olhar dela, as mães mais velhas têm melhores habilidades maternais porque são menos impulsivas. “Quando você é mais nova vai dançando conforme a valsa, com o tempo fiquei com os pés mais no chão, tem mais habilidades e principalmente mais paciência”, avalia.

Fonte: blog.saude.gov.br, por Luíza Tiné