Todos os anos, do estado da Geórgia, no Sul, até Maine, no Norte, a Appalachian Trail atrai mais de 3 milhões de “trekkers”, ou caminhantes, para áreas florestais.

A maioria dos “trekkers” passa um ou dois dias percorrendo a trilha. No entanto, todos os anos, mil “trekkers” intrépidos completam o percurso inteiro de 3.500 quilômetros. Durante uma jornada típica de cinco a sete meses de duração, esses indivíduos enfrentam uma mudança de altitude equivalente a escalar o Monte Everest 16 vezes.

A ideia para a criação da trilha se originou de um planejador regional chamado Benton MacKaye em 1921. Contudo, foi somente em 1937 que o percurso inteiro foi construído. Em 2019, amantes da natureza comemoraram os 82 anos da trilhaque leva visitantes por entre florestas e montanhas.

É a trilha composta das mais longas áreas destinadas somente a montanhismo e caminhadas do mundo, de acordo com a organização que coordena a manutenção do percurso e cuida da trilha: a Conservação da Appalachian Trail,.

Ursos negros, salamandras, veados, porcos espinhos e alces têmseu hábitat na floresta ao longo das trilhas, dependendo da localização e da estação do ano. Ao percorrer a trilha, os “trekkers” se deparam com vistas espetaculares no topo das montanhas e cumes ao longo dos Apalaches, cordilheira localizada na Costa Leste dos EUA.

Trinta e um clubes locais dispendem um tempo equivalente a 10 mil dias fa-zendo a manutenção da trilha, que é carinhosamente chamada de “A.T.” (acrônimo em inglês para Appalachian Trail).

O Serviço Nacional de Parques dos EUA colocou as terras da Appalachian Trail sob proteção federal desde 1968.

A trilha ajudou a inspirar projetos semelhantes, como a Transcaucasian Trail, que está sendo desenvolvida na Armênia e na Geórgia; a Via Dinarica Trek, que conecta os países dos Bálcãs ao longo de uma rota de montanhismo panorâmica.

Fonte: Share.america.gov