Centenas de flores espalham cores e perfumes pela cidade. Bosques, praças e jardins preenchem espaços entre avenidas e ruas, fazendo com que Goiânia esteja no ranking das melhores cidades brasileiras em qualidade de vida.

A capital de Goiás é moderna. Talvez por isso, a agitação cultural seja tão intensa. Cinemas, galerias de arte, bosques, universidades, parques e museus fazem parte de um cotidiano dinâmico, que logo influência o dia a dia dos visitantes.

Quem passa por aqui não deixa de conhecer o Monumento às Três Raças, símbolo da cidade, na Praça Doutor Pedro Ludovico Teixeira, no Centro. Ao projetá-la, em 1968, a artista plástica Neusa Moraes simbolizou a miscigenação das três raças: o branco, negro e índio, presentes no sangue do povo goiano.

O artista plástico Siron Franco, contribuiu com a criação do Monumento à Paz, no Bosque dos Buritis. A obra, uma ampulheta de cinco metros de altura e quinhentas toneladas, abriga terras de vários países. Nas margens de um belo lago do bosque, a escultura representa a possibilidade da união entre todos os povos.

Já a fatia religiosa da cidade também de transformou em um movimentado ponto turístico. Os Painéis da Via Sacra impressiona pela grandiosidade. São 16 quilômetros de extensão, como se fosse uma gigantesca galeria de arte a céu aberto, a maior do mundo.

Ainda nas artes, Goiânia continua impressionando. O Museu de Arte Contemporânea, o MAC, possui um acervo de 500 obras, entre pinturas, esculturas, gravuras, desenhos, objetos e reproduções. No mesmo local está a Escola de Artes Visuais e o Balé do Estado, outras manifestações explícitas da movimentada cultura goianense.

Em Goiânia, o passeio tradicional de domingo é pela Feira Hippie, instalada em um ponto histórico da cidade, a antiga estação ferroviária, com vista para a Maria Fumaça. Saboreando um caldo de cana, você compra objetos artesanais, calçados, comidas típicas e produtos importados espalhados pelas milhares de barraquinhas. Outra feira bastante conhecida na cidade é a Cora Coralina, nome em homenagem a uma das mais talentosas poetisas e doceiras do Estado. A feira, como não podia deixar de ser, é especializada em guloseimas e fica na tradicional Rua do Lazer.

Para curtir o ar puro, são centenas de praças limpas e floridas e o Bosque dos Buritis é considerado o patrimônio paisagístico da cidade. Debruçado no Setor Oeste de Goiânia, o bosque abriga três lagos artificiais. Em um deles está o maior jato d’água da América do Sul.

A cozinha típica da região é de origem indígena com a mescla das influências da culinária mineira e paulista. Essa mistura tem um tempero inesquecível. Peixe assado na telha, galinhada, carne de sol com legumes, pernil assado com farofa na manteiga, leitão pururuca, frango com pequi, empadão goiano (leva frango, carne de porco, guariroba, linguiça e queijo). Pamonha, curau, doces de cascas de frutas, frutas cristalizadas, biscoito de queijo e muito mais. As delícias podem ser saboreadas nas feiras espalhadas pela cidade e também nos muitos restaurantes típicos.

Fonte: www.feriasbrasil.com.br