Muito apropriado neste verão falarmos de sol e câncer de pele. Também sabemos que um pouco de exposição ao sol permite ativar ao nível da pele a famosa vitamina D. Na verdade, expor ao sol o antebraço por vinte minutos três vezes por semana bastam para ativar a vitamina D e é saudavel.

Expor-se aos raios solares em demasia é sabidamente um risco para vários tipos de câncer de pele. Sem falar de rugas e ter a pele murcha e envelhecida com os danos que os raios UV (ultravioleta) causam na pele.

Os tipos de câncer de pele variam de ruin para muito ruin, de invasivos e destrutivos para progressivamente destrutivos. Muitos tipos de câncer de pele são curáveis especialmente se diagnosticados em tempo.

Raios UV não são oriundos somente do sol. Os leitos de bronzear ou “tanning salons” emitem estes temidos raios UV e não são recomendados.

Países onde o sol bate o dia todo, tipo alguns estados do Brasil, Austrália e outros países, são especialmente atingidos por números muito elevados de câncer de pele. É tão comum que as estatísticas se perdem. Os médicos curam estes cânceres mas não notificam as autoridades sanitárias e as estatisticas não são rigidamente calculadas.

Carcinoma de célula basal é um tipo muito comum de câncer de pele, aparece na camada basal da epiderme. Apesar destes tumores terem um potencial baixo de metastase (espalhar), podem ser invasivos localmente e podem ser destrutivos na pele e nas estruturas vizinhas.

Câncer de célula basal é o mais comum em pessoas de pele branca e sua incidência sobe no mundo todo. Câncer de célula basal é associado com exposição aos raios UV especialmente durante a infância.

A maioria dos outros fatores de risco age através de uma interação com a exposição aos raios UV.

Uns 70% dos casos deste tipo de câncer atinge o rosto e a cabeça. A apresentação mais comum deste câncer basilar é nodular e superficial que representam 90% dos casos.

Biópsias são importantes para determinar o subtipo celular do câncer. Especialmente quando há dúvida no diagnóstico como: não há histórico familiar de câncer de pele, a lesão exibe um aspecto típico de recorrência ou quando o tumor é atipico.

Uma vez que o diagnóstico é estabelecido, o tratamento adequado oferece uma alta probabilidade de cura apesar do paciente estar num maior risco para desenvolver outras malignidades de pele.

Outro tipo de câncer de pele é o câncer celular escamoso (squamous). Também ligado a exposição aos raios UV.

Este tipo de câncer de pele pode se desenvolver em qualquer superfície cutânea incluindo cabeça e pescoço (55%), torso, extremidades, mucosa oral, na pele entre as unhas e areas anogenitais. Mas mais comumente este câncer aparece em áreas mais expostas ao sol. Envolvimento do câncer em partes da pele menos expostas ao sol é mais comum em pessoas de pele escura.

Habitualmente o câncer de pele escamosa se manifesta com pápulas eritematosas (elevações da pele avermelhadas), placas ou nódulos. Ulceração ou hiperpigmentação também é comum.

O câncer escamoso pode aparecer em feridas.

Aproveite o verão mas tome cuidado.

DR. ALBERT LEVY
Family Practice Physician
www.manhattanfamilypractice.com