Pablo Ruiz Picasso (1881-1973) nasceu em Málaga, Espanha, no dia 25 de outubro de 1881. Filho de José Ruiz Blasco e de Maria Picasso y López, ainda menino, mostrou seu talento para as artes. Seus primeiros desenhos representavam touradas. Em 1896, aos 15 anos, muda-se com sua família para Barcelona. Nesse mesmo ano, sua tela “Primeira Comunhão” é aceita pela Exposição Municipal de Barcelona. O quadro “Dois Patos” é enviado pelo pai para uma exposição em Málaga, recebendo o primeiro prêmio oficial do pintor.

Em Paris, Pablo Picasso foi influenciado pelo estilo impressionista e passa a adotá-lo em suas obras, com a típica pincelada de pigmento puro em vez de suaves modelagens, como na obra “As Vendedoras de Flores” (1901).

De repente, sua obra torna-se monocromática. O azul começa a invadir suas telas, é o azul da tristeza, são os retratos melancólicos de sua “Fase Azul”, com na tela “O Velho Guitarrista”. Aos poucos, Picasso se libertou da Fase Azul melancólica e entrou na “Fase Rosa”. Nessa fase os temas principais são as figuras de circo e as mulheres, como “O Jovem Arlequim”, “O Moço com Cachimbo” e “A Família de Saltimbancos”.

Em 1906, Pablo Picasso começou a trabalhar na tela “Le Demoiselles d’Avignon”. Uma obra com influencia da arte tribal africana. Foi o ponto de partida das pesquisas que resultariam no “Cubismo”, que junto com Georges Braque procurou novas respostas para a questão de retratar o mundo real tridimensional em uma tela plana.

As obras iniciais do “Cubismo Analítico”, como são conhecidas, geralmente retratam figuras únicas ou naturezas mortas utilizando uma gama limitada de tons de cinza e marrom, onde as figuras são descompostas e reorganizadas, como na tela “Nu”. O passo seguinte é o “Cubismo Sintético”, quando letras e palavras aparecem nos quadros, como em “O Aficionado”.

Em 1917, Picasso cria a cenografia para o ballet russo.

Em 1925 participa da primeira exposição surrealista. Em 1936 durante a Guerra Civil Espanhola, Picasso começa a pintar o enorme mural em estilo impressionista “Guernica”. A obra foi exibida no pavilhão espanhol, na Exposição Internacional de Paris. Encontra-se exposta no Museu Nacional de Arte Rainha Sofia, em Madri.

Seus últimos quadros foram executados com vigor em um estilo simplista, as vezes inpirados em obras famosas de Velásques, Rembrandt e Monet. Morreu em 1973 numa região perto de Cannes, na França.

Fonte: www.ebiografia.com, por Dilva Frazão