Computadores programados para pensar e responder como seres humanos, apenas mais rápidos, já estão sendo usados com o objetivo de diagnosticar doenças, dirigir carros e prever desastres naturais. E a inteligência artificial (IA) só tende a se tornar mais poderosa.

Reconhecendo a importância da IA, o presidente Trump anunciou a Iniciativa de Inteligência Artificial dos EUA. O objetivo é promover a pesquisa e o desenvolvimento da IA e fornecer diretrizes éticas para a indústria.

“A liderança americana continuada em inteligência artificial é de suma importância para a manutenção da segurança econômica e nacional dos Estados Unidos”, declarou o presidente Trump.

A iniciativa tem cinco áreas de foco:

• Investir em pesquisa e desenvolvimento da IA por meio de agências governamentais e apoio ao setor privado e acadêmico;

• Liberar recursos governamentais, como dados federais e modelos de computador;

• Desenvolver padrões e diretrizes para o futuro de pesquisas em IA;

• Construir a força de trabalho em IA, criando bolsas de estudo e programas de capacitação visando ajudar profissionais a adquirir habilidades relevantes em IA;

• Envolver-se com a comunidade internacional a fim de desenvolver um ambiente que apoie a pesquisa em IA, protegendo a propriedade intelectual.

A próxima geração de IA terá um enorme impacto na vida das pessoas, desde a transformação dos serviços de saúde à simplificação das cadeias de fornecimento, até a melhoria da educação.

É por isso que a iniciativa incentiva o desenvolvimento de IA e define o caminho para desenvolver diretrizes e regras com o intuito de garantir que a tecnologia não seja mal utilizada.

Michael Kratsios, conselheiro científico da Casa Branca, disse em um artigo para a revista Wired: “A Iniciativa de Inteligência Artificial dos EUA está baseada no princípio fundamental de que, nos Estados Unidos, a IA nunca deve ser usada em detrimento de nossas liberdades civis e todos os tipos de liberdade.”

Fonte: share.america.gov