A ideia de construir uma grande estátua no alto do Corcovado foi sugerida pela primeira vez em meados da década de 1850, quando o padre Pedro Maria Boss sugeriu a colocação de um monumento cristão no Monte do Corcovado para homenagear a Princesa Isabel, regente do Brasil e filha do Imperador Dom Pedro II.

Em 1889, o país se tornou uma república e, com a oficialização da separação entre Igreja e Estado, a proposta foi descartada.

Foto: shutterstock-Shawn Eastman Photography.

A segunda proposta de uma estátua no topo da montanha foi feita em 1920, pelo Círculo Católico do Rio de Janeiro. O grupo organizou um evento chamado “Semana do Monumento” para atrair doações e recolher assinaturas para apoiar a construção da estátua. Os projetos considerados para a “Estátua do Cristo” incluíam uma representação da cruz cristã, uma estátua de Jesus com um globo nas mãos e um pedestal que simbolizaria o mundo. A estátua do Cristo Redentor de braços abertos, um símbolo de paz, foi a escolhida. O engenheiro local Heitor da Silva Costa projetou a estátua, que foi esculpida por Paul Landowski, um escultor franco-polonês.

O rosto da estátua foi criado pelo escultor Gheorghe Leonida, que nasceu em Galati, na Romênia, em 1893. Tornando-se famoso na França como retratista, ele foi incluído por Paul Landowski na equipe que começou a trabalhar no Cristo Redentor em 1922. Gheorghe Leonida contribuiu retratando o rosto de Jesus Cristo na estátua.

Engenheiros e técnicos decidiram construir a estrutura em concreto armado (projetado por Albert Caquot) em vez de aço, mais adequado para uma estátua em forma de cruz. As camadas exteriores são feitas de pedra-sabão, escolhida por suas qualidades duradouras e facilidade de uso. A construção durou nove anos e foi inaugurado em 12 de outubro de 1931.

Durante a cerimônia de inauguração, a estátua foi iluminada por uma bateria de holofotes que acionada remotamente pelo pioneiro da rádio de ondas curtas, Guglielmo Marconi, que estava a 9.200 quilômetros de distância, em Roma, na Itália. A sua missa de inauguração aconteceu no Estádio de

 

Laranjeiras, igualmente ocorrida no dia 12 de outubro de 1931.

Em outubro de 2006, no 75º aniversário da conclusão da estátua, o Arcebispo do Rio de Janeiro, o cardeal Eusébio Oscar Scheid, consagrou uma capela em homenagem a Nossa Senhora Aparecida, a padroeira do Brasil, sob a estátua. No dia 7 de julho de 2007, em uma festa realizada em Portugal, o Cristo Redentor foi incluído entre as novas sete maravilhas do mundo. A decisão, após um concurso informal, foi baseada em votos populares, votação que ultrapassou a casa dos cem milhões de votos.

Em 1990, um trabalho de restauração foi realizada por meio de um acordo entre várias organizações, incluindo a Arquidiocese do Rio de Janeiro, empresa de mídia Rede Globo, a companhia petrolífera Shell do Brasil, o regulador ambiental Ibama, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e o governo do município do Rio de Janeiro.

Em 2003, mais transformações na estátua e em seus arredores foram realizadas, quando um conjunto de escadas rolantes, passarelas e elevadores foram instalados para facilitar o acesso à plataforma em torno da estátua. Em 2010, uma restauração maciça da estátua foi realizada. O monumento foi lavado, a argamassa e pedra-sabão que cobrem a estátua foram substituídos, a estrutura interna de ferro foi restaurada e a estátua tornou-se à prova d’água.

• Parque Nacional da Tijuca: O monumento está em área cedida pela União à Arquidiocese do Rio na década de 1930, mas o acesso à estátua é realizado através do Parque Nacional da Tijuca.

• Trem do Corcovado: O Trem do Corcovado é uma linha férrea que começa no bairro do Cosme Velho e segue até o cume do morro do Corcovado, a uma altitude de 710m. A linha foi inaugurada pelo imperador Dom Pedro II em 9 de outubro de 1884. É, portanto, mais antigo que o monumento do Cristo Redentor, que foi aberto a visitação em 1931. De fato, as peças para a montagem da estátua do Cristo foram transportadas pelo próprio trem ao longo de quatro anos.

Foto: shutterstock-Shawn Eastman Photography

O monumento aparece em diversas canções, como tema ou citada em músicas de vários artistas e bandas assim como também é referência em obras cinemato-gráficas, brasileiras e internacionais.

Em 1991, o humorista Renato Aragão escalou o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, com o intuito de agradecer o sucesso de sua carreira, principalmente como o personagem Didi, de Os Trapalhões. Em julho daquele ano, o humorista saiu de dentro do monumento e foi até a mão direita do Cristo para beijá-la.

Em 2012, foi a vez da apresentadora Eliana escalar o Cristo Redentor, repetindo o gesto de agradecimento pelo sucesso de sua carreira televisiva. A apresentadora também saiu de dentro do monumento e desta vez se dirigiu ao lado direito

Foto: shutterstock-T photography

da cabeça do Cristo para beijá-la.

CURIOSIDADES

• O construtor se converteu: O arquiteto responsável pelo projeto e pela construção do grande monumento que é o Cristo Redentor chamava-se Heitor Levy e era judeu, era o braço direito de Heitor da Silva Costa. Ao estudar o significado do Cristo Redentor e ao empreender a grande obra, que durou cinco anos, Heitor Levy tornou-se cristão. O tempo, as dificuldades e as vitórias extraordinárias lhe mostraram que ele não estava construindo apenas um monumento, mas a imagem daquele que dividiu a história da humanidade em “antes e depois”. O efeito que a imagem causava nas pessoas também ajudou na sua conversão. Heitor Levy compreendeu a grandiosidade e o amor do Cristo Redentor.

• 12 homens e um Redentor: O Cristo Redentor foi construído por apenas 12 operários, liderados por Heitor Levy. A história encarregou-se de repetir, simbolicamente, o mistério de Jesus Cristo e seus 12 apóstolos. Doze homens conheceram o Mestre espalharam o sua mensagem pelo mundo. Doze homens conheceram um projeto e construíram uma imagem de 30 metros que se tornou símbolo de uma cidade, de um país e de um continente.

• Santuário de Nossa Senhora Aparecida: A base onde a estátua do Cristo Redentor está apoiada é uma capela dedicada a Nossa Senhora Aparecida. Ali celebram-se batizados e casamentos.

• Redentor: Primeiramente, vejamos o significado da palavra Redentor: significa ‘aquele que redime’. A palavra vem do verbo “Redimir” ou “Remir”, portanto, a palavra Redentor resume toda a missão de Jesus em relação à humanidade: ele veio salvar o ser humano em todos os sentidos.

• A cabeça do Cristo Redentor: A cabeça do Cristo Redentor tem uma leve inclinação para baixo. E o sentido é claro: O Cristo está no alto, nos céus e, de lá, ele olha para baixo, para a humanidade.

Foto: shutterstock- lazyllama

• Os braços abertos do Cristo Redentor: Simbolizam seu amor para com a humanidade. Estar de braços abertos é acolher, receber, amar.

• O coração exposto do Cristo Redentor: Pouca gente percebe mas a estátua do Cristo Redentor tem o coração exposto em alto relevo, na altura do peito. Portanto, trata-se de uma imagem do Sagrado Coração de Jesus. O coração exposto significa o amor total de Cristo por cada um de nós, pela humanidade.

• As chagas nas mãos do Cristo Redentor: A imagem do Cristo Redentor apresenta as chagas que os cravos fizeram nas mãos do Cristo. É mais um detalhe que passa despercebido pela maioria das pessoas, mas que também tem um significado profundo. As mãos simbolizam a ação, o agir, o fazer.

• Cristo ressuscitado: A imagem do Cristo Redentor com os braços aberto, o coração exposto e as chagas nas mãos significam que este é o Cristo ressuscitado. Ele já passou pela morte e a venceu. Ele sinaliza para nós que a morte foi vencida e que a nossa vida é eterna. O tempo que nós passamos neste mundo é passageiro. Nosso destino é a eternidade junto com Deus.