Os crayons e lápis de cor da infância traçaram o destino da designer carioca Tati Vitsic, que hoje faz sucesso em Nova York atendendo a grandes marcas como a GAP, Lucky Brand, Reebok e Macys.

Seu espírito empreendedor está estampado nos produtos de papelaria da sua empresa “Pommy New York” que lhe garantiu diversos prêmios, como o “Outstanding Acheviement Award” (Interective Media Awards).

Nesta entrevista para o The Brasilians, Tati conta como foi a sua trajetória de sucesso do Brasil a NY e oferece dicas para quem está iniciando na área de Desenho Gráfico.

The Brasilians: Tati voce descobriu seu talento para as artes gráficas quando ainda criança, participando de varias exposições aos 13 anos. Como foi esta descoberta?

Tati Vitsic: O desenho sempre foi uma coisa natural para mim desde a infância, e comecei a fazer curso de desenho para adultos aos 10 anos de idade no Ateliê de Pintura do Tijuca Tênis Clube. Minha mãe é artista plástica e meu pai engenheiro, então acredito que a via artística veio de família. Aos 13 anos, participei do primeiro Salão de Artes para adultos, no Clube Naval do Rio de Janeiro.

TB: Voce tem alguma historia de infância relacionada as artes que te marcou?

TV: Desde pequena participei de alguns concursos de desenho infantil e ganhei vários prêmios, como uma torta de chocolate em uma loja de comida congelada. Isso me incentivou ainda mais a continuar com a ideia de ser desenhista quando crescesse.

TB: Como foi sua trajetória como artista grafica enquanto morava no Brasil?

TV: Ainda na época do colégio, eu criava adesivos para vender e fazia minhas capas de agendas, cenário de peças de teatro, camisetas, etc. Profissionalmente, comecei a trabalhar como designer gráfica ainda na faculdade de Comunicação Visual, na PUC. Atuei na área de design gráfico nos setores cultural, não-governamental e corporativo e também como web designer, tendo trabalhado na Globosat e Petrobras. Mais tarde, tive meu escritório na área de papelaria/convites personalizados. Em todo meu trabalho de designer, sempre busquei incorporar minhas ilustrações.

TB: Como voce veio parar nos EUA?

TV: A primeira vez que vim para os EUA foi em 1996, quando vim fazer alguns cursos na School of Visual Arts, nas áreas de Computação Gráfica, Ilustração e Design. Depois, vim várias vezes a passeio, mas sempre com vontade de ficar mais! Até que em 2006 consegui uma empresa para aplicar para meu visto H1B na área de web design. De lá para cá, foram algumas idas e vindas por questões de visto.

TB: Nos conte sobre o trabalho que você desenvolve aqui nos Estados Unidos?

TV: Trabalhei alguns anos na empresa Cake & Arrow, onde participei de projetos de web para marcas como: Citibank, Metlife, Kaplan, Ivanka Trump Collection, entre outras, e recebi diversos prêmios renomados. Após mais de 10 anos trabalhando em web design, resolvi mudar de área e fazer outra faculdade. Em 2014, me formei no Fashion Institute of Technology em Design Textil/Estamparia. Desde então, venho trabalhando na áreas de moda e artigos para casa, com trabalhos realizados para: Roxy, Reebok, Macy’s, Lucky Brand, Burlington, Forever 21, Walmart, etc.

TB: O que e a Pommy New York?

TV: Assim que me formei na FIT, lancei minha marca de estampas e ilustrações POMMY NEW YORK, que tem um estilo colorido, divertido, lúdico e jovem. Minhas estampas podem ser vistas em produtos como: roupas, bolsas, echarpes, almofadas, toalhas, cadernos, dentre outros, e já foram vendidas para Gap/Old Navy, Walmart, Kohls, Rainbow Shops, Joann Fabrics, Uniform Advantage, etc.

Além disso, ainda trabalho como freelancer como designer gráfica e ilustradora, desenvolvendo: logos, identidade visual, papelaria, posters, cartões, banners, etc. Uma das minhas ilustrações para a campanha #Vaccinated do Amplifier.org acaba de ser selecionada e premiada no concurso de poster design para promover a vacinação contra o Covid-19.

Continuo atuando também nas artes plásticas, e já participei de algumas exposições no FIT Museum, Brooklyn Art Library, Figment NYC e LIC Arts Open.

TB: Quais as dificuldades que voce encontrou enquanto artista Brasileira morando nos Estados Unidos?

TV: A maior dificuldade é sem dúvida a questão do visto. Está cada dia mais difícil conseguir um visto para poder trabalhar legalmente aqui. Mesmo com permissão de trabalho, ainda é complicado entrar no mercado de trabalho sem ter quem te indique, pois a concorrência é muito alta. Sem falar que existem empresas que exigem o greencard para que você faça parte do processo seletivo.

TB: Quais os artistas que mais te influenciaram?

TV: Quando criança, o desenhista brasileiro que mais me influenciou foi Daniel Azulay, e internacional, Walt Disney era inspiração. Pelo fato de minha mãe ser artista plástica, tive contato com muitos livros de arte desde cedo, e admirava Van Gogh, Renoir, Degas, Matisse, Picasso. Na PUC, tive muita influência do grande ilustrador Amador Perez e do ilustrador de livro infantil Guto Lins. Na SVA, tive a oportunidade de estudar com o renomado designer Milton Glaser, criador da marca “I ❤️ NY”.

TB: Aonde voce busca inspiracao?

TV: Eu sou apaixonada por NYC desde 1996, e essa cidade é uma fonte viva de inspiração, pela diversidade de pessoas e culturas do mundo inteiro. Gosto de buscar inspiração em livros, artistas, revistas, sites, fotografias, museus, exposições, filmes, nas ruas, etc. Mas também me inspiro em outros aspectos da vida, na natureza e em viagens, ao manter meus olhos e minha mente atentos. Uma simples caminhada no parque, à beira do rio, pode ser tão relaxante, que abre minha cabeça para novas ideias. Então, a inspiração pode vir de qualquer coisa, na verdade, desde que olhemos a vida com sensibilidade e atenção aos detalhes. O desafio está em transformar o que vemos em arte.

TB: Qual o conselho que voce daria a quem gostaria de iniciar sua carreira nas artes gráficas?

TV: A área de design gráfico é muito ampla e permite que o designer atue em diversas áreas e, com isso, há muitas possibilidades de experimentar. Procure fazer o que gosta e curtir o processo desde o aprendizado da faculdade até a vida profissional. Se esse for seu talento, se ama o que faz, corra muito atrás, estude, seja dedicado e vá à luta! A vida de artista não é fácil, mas é muito mais difícil não ser artista.

SHARE
Previous articleNa Terra do Cervo Branco de Chen Zhongshi
Next articleAeroporto de Belo Horizonte recebe certificação internacional
ILANA LIPSZTEIN
Ilana Lipsztein é jornalista, empresária, carioca e mora em Nova York há 20 anos com seus 2 filhos e o marido Roberto. Este ano ela lançou The Wip Factory, em parceria com a empresa EntendeuMedia.com (Simone Goldstein), aonde oferece serviços de consultoria e marketing para mulheres empreendedoras. Ilana LIpsztein is a trained Journalist and entrepreneur from Rio de Janeiro, Brazil. She lives in New York for 20 Years with her husband Roberto and their two children. This year she merged with the company EntendeuMedia.com (Simone Goldstein), and launched The WIP Factory, offering Marketing and Social Media Consulting Services to woman entrepreneurs. We are all WIP: Work in Progress.