Nesta segunda-feira foi dada a largada da semana do clima em Nova Iorque. A conferência das Organização das Nações Unidas sobre mudança climática de 2021, COP26, irá colaborar com a Climate Week NYC este ano, para ampliar a consciência sobre a crise climática e mostrar as medidas que países, empresas e indivíduos precisam tomar para intensificar a ação climática.

A cerimônia de abertura da Climate Week NYC recebeu vários palestrantes importantes, entre eles o presidente designado da COP26, Alok Sharma, que afirmou que a próxima década é vital para garantir o futuro do nosso planeta. “Precisamos agir agora para reduzir as emissões pela metade na próxima década, se quisermos prevenir com urgência uma mudança climática catastrófica e evitar que as temperaturas globais aumentem acima de 1,5 graus Celsius.”

Climate Week NYC, administrada pelo grupo britânico Climate Group, é a hora e o lugar onde o mundo se reúne para divulgar a ação climática e discutir sobre o assunto. Nesta edição, adotaram o tema Getting It Done.

Helen Clarkson, CEO do Climate Group, disse: “Vamos usar a Semana do Clima em Nova York para pressionar pessoas e empresas a fazerem as ações climáticas da maneira certa. Os últimos dois anos nos mostraram que a mudança pode ser alcançada, mas é preciso que os políticos e os principais tomadores de decisões alinhem o clima com inovação, apoio financeiro e ação.”

A governadora de Nova Iorque, Kathy Hochul, fechou a cerimônia de abertura do evento anunciando dois grandes projetos de infraestrutura de energia verde para abastecer a cidade de Nova York com projetos de energia eólica, solar e hidrelétrica do interior, do estado de Nova York e do Canadá. Se aprovados, esses projetos de infraestrutura criarão aproximadamente 10 mil empregos em todo o estado e trarão US $ 8,2 bilhões em investimentos de desenvolvimento econômico, inclusive investimentos comprometidos com desenvolvedores para apoiar comunidades carentes, quando concluídos, para ajudar a acelerar a recuperação econômica do estado em consequência da COVID-19.

Este anúncio ajudará a reduzir a dependência da cidade de combustíveis fósseis, diminuir as emissões de carbono e melhorar significativamente a qualidade do ar e a saúde pública em comunidades carentes, ao mesmo tempo que ajuda Nova Iorque a bater a meta de que 70 por cento da eletricidade do estado sejam provenientes de fontes renováveis até 2030, no caminho para uma grade de emissão zero, conforme descrito no Climate Leadership and Community Protection Act (Climate Act).

“As comunidades de Nova York estão enfrentando, repetidamente, sérias consequências, como resultado da devastação causada pela crise climática global; e os riscos nunca foram tão altos, pois lidamos com a destruição econômica e ambiental que esses eventos climáticos extremos deixam para trás”, disse a governadora Hochul. “Esses projetos transformadores são vantajosos para ambas as partes, gerando milhares de novos empregos bem remunerados em todo o estado e atraindo bilhões de dólares em investimentos privados. Eles também nos ajudam a virar a página sobre a dependência de longa data da cidade de Nova York dos combustíveis fósseis – e garantir que milhões de nova-iorquinos, especialmente aqueles que vivem em nossas comunidades mais vulneráveis, possam ter um ar mais limpo e um futuro mais saudável .

Esse anúncio foi reforçado pela confirmação do prefeito da cidade de Nova York, Bill de Blasio.

“Este é um momento transformador para a luta da cidade de Nova York contra as mudanças climáticas. Duas novas linhas de transmissão, que vão conectar a cidade de Nova York à eletricidade proveniente da água, do vento e de captação solar, criarão milhares de bons empregos sindicais, melhorarão a resiliência e a confiabilidade de nosso fornecimento de energia e reduzirão drasticamente nossa dependência de eletricidade a óleo e gás, que suja o ar em nossos bairros e coloca em risco o nosso planeta”, afirmou Bill de Blasio, completando que irá cumprir o compromisso de fornecer energia às operações do governo da cidade de Nova York com 100% de limpeza e eletricidade renovável até 2025.

VIVIANE FAVER
Jornalista
vfaver@gmail.com

SHARE
Previous article(English) Things for do this summer FROM A TO Z 
VIVIANE FAVER
- Jornalista radicada em NYC. Estagiou e trabalhou no Jornal do Commercio por 10 anos na editoria de economia. Mudou-se para NY em 2014, onde começou a colaborar para o jornal The Brasilians, o Extra, O Dia, CNN Style (Londres), New York Beacon, entre outros. Também trabalha com documentários, o mais recente foi o 'Queen of Lapa', que ganhou o prêmio no festival LGBT, NewFest, em NYC, em 2019. - Brazilian journalist based in NYC. Started out as an intern, then worked at Jornal do Commercio in Brazil, where she spent 10 years writing for the economic editorial. She moved to NY in 2014, and started collaborating for The Brasilians, Extra, O Dia, CNN Style (London), New York Beacon, among others. Also working with documentaries, the most recent was the 'Queen of Lapa', which won the award at the LGBT festival, NewFest, in NYC, in 2019.